Início Destaques

Negócios em alta no Modtissimo

Na 48.ª edição, o salão português da fileira têxtil e vestuário deu sinais otimistas para o futuro do sector. Visitantes mais profissionais, que proporcionaram negócios efetivos e potenciais durante os dois dias, e a visita do Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, marcaram um balanço positivo para os expositores presentes.

Numa edição onde os negócios estiveram em destaque, o Modtissimo voltou a ser o ponto de encontro da fileira têxtil nacional. Cerca de 250 expositores, contemplando produtores de fios, tecidos e acessórios, confecionadores, especialistas em têxteis técnicos e marcas de moda, reuniram-se a 21 e 22 de setembro na Alfândega do Porto para apresentar as coleções para as próximas estações e fazerem novos contactos, nacionais e estrangeiros.

Modtissimo«Os visitantes estrangeiros foram mais e melhores. Os visitantes nacionais não foram mais, mas foram melhores. O tempo de permanência das pessoas foi maior, o que mostra que vieram para trabalhar», afirmou Manuel Serrão, diretor-geral do Modtissimo, ao Portugal Têxtil. «No geral, há uma satisfação grande e um dos sinais é que o Secretário de Estado chegou mais tarde do que o previsto e, a meia hora do fim, as pessoas continuam a trabalhar», acrescentou.

«Consegui negócios aqui que não seria possível noutro local, por isso o balanço é muito positivo», apontou José Ferreira, diretor de exportação da Têxtil de Serzedelo. «Tivemos contactos de Inglaterra, EUA, Israel, Alemanha, Dinamarca. Penso que já fiz dois ou três contactos e pode haver aqui oportunidades de negócio muito interessantes. Esteve aqui um alemão que me convidou para ir à Alemanha, um russo veio várias vezes e insiste para que eu vá fazer uma feira à Rússia e um dinamarquês que esteve aqui também me falou nisso», revelou, ao Portugal Têxtil, Luís Francisco, fundador da Lispaulo Cork.

ModtissimoAs opiniões positivas foram, de resto, manifestadas ao próprio Secretário de Estado da Indústria. «Tem potencialidade para ser uma grande feira», afirmou Luís Lima, diretor de produção e desenvolvimento da João António Lima Malhas, a João Vasconcelos, que se confessou surpreso com a diversidade e qualidade dos expositores. «Fiquei surpreendido com o nível que encontrei: com o nível do design, com o nível técnico, com o nível de apresentação, de distribuição, de logística… Fiquei ainda surpreendido com vários projetos que não conhecia – é impossível conhecer tantas empresas – mas basta visitar o Modtissimo para se perceber porque é que são 130 mil postos de trabalho e porque são 7 mil milhões de euros de faturação. Neste sector estamos na primeira divisão mundial», afirmou o Secretário de Estado da Indústria ao Portugal Têxtil.

No iTechstyle Business Forum, organizado em parceria com o Citeve, João Vasconcelos teve a oportunidade de conhecer vários dos projetos inovadores, como os tecidos de cortiça da Sedacor, que, com o Pear Black QK, um casaco em tecido de cortiça natural combinado com algodão, venceu o prémio na categoria de Produto no concurso Inova Têxtil 2016. O concurso anual destacou ainda o prémio para o tecido mais inovador, entregue à LMA por uma proposta com cortiça regenerada, e, pela primeira vez, um prémio para acessórios, que foi entregue à Heliotextil com uma proposta de eletrónica impressa em transferes têxteis. «O Fórum de Acessórios criou alguma expectativa e esperamos repetir nas próximas edições – não pretende ser um fórum de acessórios de moda, mas ter um carácter mais técnico, onde se explica as funcionalidades e quanto é que os mesmos são importantes para acompanhar os produtos no seu fator de inovação», explicou Cristina Castro, relações públicas do Citeve.

modtissimoNo final, em declarações ao Portugal Têxtil, João Vasconcelos deixou um elogio ao sector e aos empresários. «Todos os empresários com quem falei aqui, que foram dezenas, estão contentes, estão a aumentar a sua faturação e as suas exportações, por isso acho que estamos num grande e bom momento deste sector em Portugal e vai continuar nos próximos anos garantidamente, porque quando os empresários acreditam, as coisas acontecem», afirmou.

Por parte do governo, além dos incentivos, João Vasconcelos indicou que pretende contribuir para a visibilidade do sector, nomeadamente com a sua visita aos certames profissionais – aliás, após a conversa com a representante em Portugal das feiras de Munique, Tânia Barros, o Secretário de Estado da Indústria manifestou mesmo o desejo de visitar a Ispo Munich, que se realiza de 5 a 8 de fevereiro em 2017 e contará com uma delegação de cerca de 40 empresas portuguesas. «[A visita ao Modtissimo] é o mínimo que podemos fazer, também querendo com ela que os outros sectores e o resto do país saiba que isto existe. É um sector que nos orgulha muito, que orgulha muito Portugal», referiu, acrescentando que «falta comunicar aos portugueses, e a todos aqueles que podem vir a ser clientes destes tecidos e destas roupas, a qualidade que está cá e comunicar o que está na sua origem, que é a qualidade da indústria portuguesa».