Início Arquivo

Boot Düsseldorf dá boas indicações

A escada de emergência flexível feita com fitas têxteis da Artefita é apenas um dos artigos “made in Portugal” que estão presentes na Boot Düsseldorf desde o dia 22 de Janeiro. A feira de equipamentos náuticos prolonga-se até ao dia 30 de Janeiro, havendo, por isso, mais três dias para os mais de 1.550 expositores de 59 países mostrarem as suas novidades nesta área. E as perspectivas para já são boas, uma vez que, como tinha avançado a organização, «os consumidores alemães estão novamente a abrir os bolsos». Já com muitos visitantes contabilizados, a organização espera agora superar os números da edição de 2010, onde passaram pela Messe Düsseldorf mais de 240 mil visitantes internacionais. Portugal volta a marcar presença nesta feira, com uma delegação de empresas apoiadas pela Associação Selectiva Moda, no âmbito do projecto de internacionalização financiado pelo Qren. Para além da Artefita, está ainda presente a Cotesi, a P&R Têxteis, a ERT, a Damel e a Elio-Kayaks. Nesta presença na Boot Düsseldorf, a Artefita revela uma nova escada de emergência flexível feita a partir de fitas têxteis, assim como «uma manga para protecção de cabos e várias cintas de amarração de barcos com tensores em aço inox que permitem o contacto com a água salgada sem danificar os mecanismos», como revela Gonzaga Oliveira, administrador da empresa. A Artefita é uma das mais reputadas produtoras de fitas têxteis, estando presente em 17 mercados mundiais e com um volume de negócios de 3,2 milhões de euros em 2010. A Cotesi, por seu lado, produtora das cordas da marca Alpha Ropes, expõe o seu novo cabo para náutica D Core XTM, um cabo que se caracteriza «essencialmente pelo seu baixo estiramento e carga de rotura muito elevada», explica Diogo Cayolla, ex-velejador olímpico português, agora representante da empresa. A empresa, presente em 20 países e com um volume de negócios de cerca de 170 milhões de euros, espera conseguir «desenvolver mercados como o alemão, austríaco, holandês e outros na Europa de Leste», acrescenta Diogo Cayolla. Já a ERT – Empresa de Revestimentos Têxteis mostra nesta feira dois bancos para barcos com diferentes complexos têxteis revestidos com uma membrana impermeável, onde são utilizados «microfibras e têxteis 3D com barreira para utilização náutica», como indica João Brandão, CEO da empresa. Uma participação que deverá contribuir para um aumento do volume de negócios da empresa que, em 2010, atingiu os 14 milhões de euros mas que para 2011 prevê chegar aos 17 milhões de euros, segundo os dados fornecidos por João Brandão. Entre os expositores portugueses está ainda a Damel, a Elio-Kayaks e a P&R Têxteis. Esta última, para além da marca própria Onda, produz equipamentos de desporto para grandes marcas como Adidas, a Puma, Veltec, Trango, Ronhill, Astore, Ternua e Royal Bikewear. Nos Jogos Olímpicos de Pequim, produziu o equipamento para Usain Bolt, recordista mundial de 100m e 200m, e em 2009 produziu igualmente equipamentos que foram usados no Campeonato Europeu de Natação e no Circuito Mundial de BodyBoard da International Bodyboarding Association.