Mercados

Início Notícias Mercados

Um mercado de oportunidades

O crescimento da moda infantil superou já o da moda feminina e masculina, de acordo com os dados mais recentes – uma informação séria para as marcas que, afinal, só querem entrar nas brincadeiras dos petizes.

Moda rápida comprometida na China

Numa altura em que a China se compromete com a reforma ambiental, poderá a fast fashion continuar a dominar a economia e o ambiente do país? Os prós e os contras vão começar a ser pesados no Império do Meio.

Retalho em apuros

Os primeiros indicadores deste ano são pouco animadores para os retalhistas americanos. A perda de protagonismo dos centros comerciais na vida dos adolescentes e a crescente apetência pelas compras online antecipam mais dificuldades para a Gap, a American Eagle Outfitters e companhia.

Hilfiger lança showroom digital

A Tommy Hilfiger lançou em janeiro um showroom de vendas digitais na sua sede global em Amsterdão, que a marca de moda reivindica irá «revolucionar» a experiência de vendas para os retalhistas, oferecendo-lhes «uma abordagem de compra mais envolvente e integrada».

A queda do algodão

No ano passado, as importações chinesas de algodão registaram os seus números mais baixos em, pelo menos, nove anos, com base nos dados divulgados esta semana e relativos à comercialização desta fibra em 2015.

Refugiados ilegais na ITV

Milhares de refugiados sírios estão a trabalhar ilegalmente na indústria de vestuário da Turquia, território onde o trabalho infantil, os baixos salários e as más condições estão a preocupar as organizações internacionais.

As duas faces da moeda

Ainda que a indústria de vestuário em Myanmar esteja a experimentar um crescimento, graças ao aumento do investimento por parte das marcas internacionais, os trabalhadores continuam a braços com situações de trabalho precário, aponta um novo relatório.

Chineses apertam o cinto

A desaceleração económica e a instabilidade do mercado de ações na China impeliram a população a restringir as despesas efetuadas, trazendo consequências inestimáveis para a dinâmica da economia mundial.

Consumo em mutação

Numa altura em que os millennials imaginam e trabalham em prol de um mundo melhor, os analistas acreditam que começou uma nova era consumista, orientada essencialmente, por dois importantes eixos: orgulho e política. As marcas de vestuário devem estar particularmente atentas.

A fragmentação do consumidor chinês

Apesar de a desaceleração do ritmo do luxo continuar na China e de serem várias as notícias do fim da ostentação no horizonte dos consumidores, com a campanha anticorrupção em marcha e a aparente mudança do destino dos yuans para outros repositórios – como viagens, desporto ou entretenimento –, o “brilho” continua a iluminar Império do Meio.

Mais vistas