Mercados

Início Notícias Mercados

Chineses mais cautelosos

Os turistas chineses gastaram menos durante as suas viagens em março, mas ir às compras continua a ser um prazer quando estão em férias. Uma oportunidade que deve ser aproveitada pelas marcas e retalhistas internacionais, sobretudo nos principais destinos turísticos, onde se incluem vários países europeus.

Retalho em apuros

Os primeiros indicadores deste ano são pouco animadores para os retalhistas americanos. A perda de protagonismo dos centros comerciais na vida dos adolescentes e a crescente apetência pelas compras online antecipam mais dificuldades para a Gap, a American Eagle Outfitters e companhia.

Bangladesh na corda bamba

As exportações do Bangladesh aumentaram 7,4% em março face a igual período do ano anterior, fixando-se nos 2,59 mil milhões de dólares. Um crescimento que se repete pelo quinto mês consecutivo, impulsionado por fortes vendas de artigos de vestuário.

Algodão indiano em queda

O aumento dos stocks mundiais e a diminuição das compras por parte da China estão a levar a uma quebra das exportações de algodão da Índia, uma situação que o país está a tentar contrariar através do aumento das vendas a outros mercados e da diminuição dos preços desta matéria-prima.

O desassossego da ITV

A indústria têxtil da Nigéria receia o crescente domínio dos têxteis chineses que, por serem mais baratos, reúnem popularidade entre os cidadãos do país com menor poder de compra.

Retalho americano ganha vigor

As vendas a retalho nos EUA registaram em abril o maior aumento do último ano, com os americanos a retomarem as compras de automóveis e de vários outros tipos de produtos, sugerindo que a economia está a novamente a ganhar dinamismo depois do crescimento ter praticamente estagnado no primeiro trimestre.

Russos apertam o cinto

As divergências das políticas internacionais e a depreciação da economia da Rússia, particularmente afetada pela desvalorização do rublo, têm contribuído para a diminuição do consumo entre os segmentos mais afluentes da sociedade russa, afetando o mercado de artigos de luxo do país.

Violações em Los Angeles

Embora o continente asiático concentre o maior número de denúncias de alegadas violações no seio do sector industrial, um número alarmante de violações de segurança e saúde emerge na indústria de vestuário de Los Angeles, tomando proporções inesperadas.

O jogo alemão na moda

No papel, a Alemanha poderia assumir-se como a capital de moda da Europa. O país é a maior economia do Velho Continente e o maior consumidor de vestuário e calçado, de acordo com o Euromonitor. Só em Berlim, há 10 escolas de moda, a Mercedes-Benz Fashion Week e mais de cinco feiras líderes na indústria – mas a prática esbate todos estes números.

Nas rendas da Chanel

Desde que Kate Middleton se casou num vestido com rendas da produtora Sophie Hallette, este sector da indústria têxtil francesa tem vindo a desfrutar de particular popularidade.

Mais vistas