Tendências

Início Notícias Tendências

As bizarrias do denim

Dos jeans com fechos em locais inusitados aos jeans aparentemente lamacentos, sem esquecer os jeans-calção e os jeans-saia, 2017 está já a ser coroado pelos especialistas como o ano dos jeans bizarros e, provavelmente, o ano do denim viral.

Atletas versus modelos

Ao contrário do que acontece com os atletas, a ala feminina frequentemente compete com modelos e celebridades por campanhas publicitárias de sportswear. A modelo Karlie Kloss, por exemplo, já emprestou o rosto às campanhas das gigantes Nike e Adidas. As mais jovens Kylie Jenner e Gigi Hadid alinharam pela Puma e Reebok, respetivamente.

Nova vaga a cores

Sies Marjan, Finery e Rejina Pyo são três marcas que fazem de paletas de cor disruptivas o seu cartão de visita e assim têm conseguido pintar negócios de sucesso. A cor é uma das formas mais primitivas de comunicação – de imediato se associa uma combinação de amarelo e preto a perigo ou toxicidade. De igual modo, a mente tem noção de que os verdes e azuis significam ecologia e equilíbrio.

Maximalismo domina design

A Semana de Design de Milão deixou-se dominar por um maximalismo ousado e colorido que impactou os visitantes, captando a sua atenção num tempo marcado pela forte dependência de gadgets e abstraindo-os das principais questões políticas e sociais.

Chineses mudam a casa

As influências ocidentais estão a mudar o mercado de interiores da China. No entanto, as marcas precisam de estar atentas às singularidades locais: os consumidores chineses são jovens, estão à procura de uma combinação de estética e conforto e, embora partilhem valores coletivos, as opiniões diferem quando se trata de decoração, dependendo do estrato social e das preferências pessoais.

Um homem novo

Da geração Z à geração X, os asiáticos têm vindo a derrubar as fronteiras de género tradicionais nos últimos anos, escutando novos reptos culturais. Um relatório recente mostra, todavia, a falta de diálogo que envolve a modernização dos papéis do homem no seio familiar, no local de trabalho e na sociedade da região em geral.

A era do streetwear

Até agora, o streetwear esteve circunscrito a um nicho de consumidores, na sua maioria jovens, em busca de autenticidade e de afirmação pessoal. No entanto, o código de vestuário da rua, marcado por sapatilhas e peças encapuzadas, depressa se assumiu como macrotendência que domina agora as passerelles de marcas como Givenchy, Vetements, Raf Simons e, mais recentemente, Louis Vuitton, que assinou uma parceria com um dos pesos-pesados do segmento, a Supreme.

Verão azul

Pedra basilar nos guarda-roupas femininos e masculinos – independentemente das estações e perfeitamente adaptável às tendências –, o denim é clássico e intemporal. Nesta estação quente, o tecido ganha renovada força, dominando não só o vestuário, mas também os acessórios e descendo inclusivamente até ao calçado.

Mulheres são subvalorizadas no trabalho

Um novo estudo reformula o conhecido Princípio de Peter – que sustenta que num sistema hierárquico todos tendem a ser promovidos até ao seu nível de incompetência – e afirma que, no mundo do trabalho, a maior parte das mulheres está subaproveitada e ocupa uma posição que está abaixo do seu nível de competência.

A idade como tendência

A moda sempre teve problemas com os números – dos tamanhos aos anos –, procurando, estação após estação, rostos novos e corpos magros capazes de materializar a sua busca constante pela eterna juventude. Porém, nos últimos tempos, a indústria tem sentido uma pressão crescente em torno da diversidade e os consumidores grisalhos começam a estar na linha de mira das marcas.

Mais vistas