Vestuário

Início Notícias Vestuário

A-Line e a arte da camisaria

O batismo honra a icónica silhueta de Christian Dior mas, na A-Line, é o contorno superior do corpo feminino – que acaba por formar um “A” invertido – que importa, não fosse a camisaria a força motriz da marca nacional com os olhos postos no mundo.

Crescer com meias (bem) medidas

Com uma oferta variada – das meias de compressão para desporto aos artigos desenvolvidos para a moda – que permite chegar a diferentes clientes, a A. Fiúza está a aumentar o efetivo e a reforçar a capacidade produtiva, mas o objetivo é continuar a crescer de forma sustentada.

Athleisure impulsiona Sidónios Seamless

O athleisure tem alimentado o negócio da produtora de vestuário em malha, que combina fibras de performance com matérias-primas naturais como lã e caxemira na nova coleção. A acompanhar o crescimento das vendas, a Sidónios Seamless está a fazer investimentos para aumentar a capacidade produtiva.

Direitos humanos travam Etiópia

A Etiópia ambiciona que as marcas de vestuário olhem para o país como um dos destinos de sourcing mais hospitaleiros do mundo e, de facto, os baixos salários dos trabalhadores e os baixos custos energéticos são bastante convidativos, garantindo-lhe uma posição de destaque no mapa de aprovisionamento global.

O lado verde da Inditex

A gigante espanhola continua empenhada em fechar o ciclo dos seus produtos e da nova fase do “Plano de Estratégia Ambiental” para 2016 a 2020 fazem parte iniciativas de reciclagem com o envolvimento dos consumidores, mas também com a Lenzing e a investigação de novas tecnologias em parceria com o MIT.

Reinventar o capote

A Capote’s Emotion foi buscar o tradicional capote alentejano ao campo e levou-o para a cidade. A peça de vestuário icónica é agora praticamente feita à medida e ganhou novas cores, mais ousadas, para homens, mulheres e crianças, aquém e além-fronteiras, mas mantém o propósito inicial de proteger do frio de inverno.

dww: design dá segunda vida

Conscientes da importância de “reaproveitar, reaplicar e recontextualizar”, Célia Costa e Maria Inês Monteiro fundaram a designwithwaste (dww), empresa de design cujo objetivo é dar uma segunda vida a desperdícios vindos, por exemplo, da indústria têxtil que, de outra forma, iriam acabar em aterros sanitários. Para já, as peças desenvolvidas dividem-se em três coleções, reutilizando o têxtil, o serrim e, na última, a lona.

Roupa amiga da floresta

Este ano, aproximadamente 120 milhões de árvores serão transformadas em t-shirts. Cerca de 40% dessas árvores serão abatidas em ecossistemas sensíveis na Amazónia e em florestas tropicais no Canadá e na Indonésia, para que as prateleiras das marcas e retalhistas sejam preenchidas com artigos em viscose, cupro ou modal

The Cotton Baby Company quer crescer

Nascida como brincadeira na primavera-verão 2016, a The Cotton Baby Company depressa aprendeu a caminhar em direção a um negócio sério, que já conquistou as prateleiras do El Corte Inglés. Um ano depois, a marca portuguesa de vestuário e acessórios para recém-nascido pretende continuar a ser embalada além-fronteiras.

Sancar cresce a passos firmes

Mais de duas décadas depois da sua fundação, a Têxtil Sancar abriu as portas de uma nova unidade produtiva, num investimento que rondou 1,5 milhões de euros, e está a reforçar a sua estratégia de internacionalização, num processo que começou com a estreia na última edição da Ispo Munich.

Mais vistas