Início Notícias Marcas

Empresas com selo de reputação

A fabricante de relógios de luxo Rolex é a empresa com melhor reputação a nível mundial, segundo os rankings anuais do Reputation Institute. O instituto classifica as empresas de acordo com a perceção do público em áreas como produtos e serviços, inovação, local de trabalho, cidadania, liderança e performance. A gigante desportiva Adidas figura no top 10.

A Rolex encabeçou a lista na América do Norte e na Ásia, enquanto a Lego ficou em primeiro lugar na Europa e no Médio Oriente. A Google é a empresa mais reputada na América Latina.

Para compilar os rankings, o Instituto de Reputação recolheu mais de 240.000 classificações de 15 países.

Eis a lista 10 empresas mais reputadas do mundo, analisada pela Business Insider:

10 – Adidas

Em 2016, a receita líquida da Adidas cresceu 59,3%, para mil milhões de euros, contra 640 milhões no exercício anterior. O ano foi o primeiro do seu plano estratégico 2020 (ver Adidas aponta subida para 2020), implementado pelo CEO Kasper Rorsted, que pretende que a empresa aumente as vendas de comércio eletrónico, melhore a eficiência e se concentre na sua cultura empresarial.

Ao longo de 2016, a Adidas também lançou colaborações com celebridades, incluindo Kanye West, Pharrell Williams e Rita Ora, para aumentar a consciência de marca (ver Adidas tem o fator cool).

9 – Rolls-Royce Aerospace

A empresa produz os motores de vários aviões comerciais, como o Airbus A380 e o Boeing 787, e tem vindo a mostrar-se interessada em oferecer novas tecnologias. Em março deste ano, a Rolls-Royce Aerospace anunciou planos para investir num centro de investigação e desenvolvimento na Finlândia para conceber tecnologia para navegação autónoma.

8 – Intel

A Intel assumiu-se como pedra basilar da indústria tecnológica enquanto principal fabricante de chipsets para computadores. O CEO Brian Krzanich adiantou que, em 2017, a empresa irá investir mais em 5G e conectividade. A Intel iniciou o ano com a aquisição da empresa Mobileye por 15,3 mil milhões de dólares (aproximadamente 14,4 mil milhões de euros).

7 – Sony

Em 2016, a Sony conseguiu livrar-se da marca de computadores Vaio de baixa performance para se concentrar nos seus produtos mais bem-sucedidos. O ano assistiu ainda ao lançamento dos fones de realidade virtual para a Playstation, onde a empresa detém mais de 50% do mercado. A Sony é também a empresa que desenvolve os sensores da câmara de vários smartphones líderes, incluindo o iPhone 7 e o Samsung Galaxy S7.

6 – Bosch

A empresa alemã de engenharia e eletrónica aproveitou o ano passado para consolidar as suas posições na Internet das Coisas e software. Em 2016, a empresa revelou que iria desenvolver a sua oferta de computação em nuvem para competir com a Amazon e a Google.

5 – Google

A pontuação da Google subiu, mas ainda assim caiu do terceiro lugar no ranking (que ocupou em 2015). Em 2016, a empresa de tecnologia anunciou a nova linha da Pixel e o seu assistente virtual Google Assistant e respetivo dispositivo de automação, Google Home, que visam levar a inteligência artificial às massas.

4 – Canon

A Canon registou quase quatro mil patentes em 2016, ficando em terceiro lugar depois da IBM e da Samsung. A maior fabricante mundial de câmaras e impressoras cresceu através de aquisições no ano passado, destacando-se a compra da divisão médica da Toshiba por 6,5 mil milhões de dólares.

3 – Walt Disney

A Disney caiu um lugar no ranking de 2016. No ano passado, a empresa começou a colher os frutos da aquisição da franquia “Star Wars”, com os lançamentos dos filmes “O Despertar da Força” e “Rogue One: Uma História Star Wars”. A empresa revelou recentemente que tinha lançamentos de filmes da saga garantidos até 2030.

2 – Lego

A Lego foi a grande vencedora no ranking de reputação em 2016, subindo do sexto para o segundo lugar. De 2010 a 2015, as receitas da empresa mais do que duplicaram e as vendas aumentaram 6% em 2016. A Lego anunciou também o primeiro CEO não-dinamarquês da empresa, Bali Padda.

1 – Rolex

A posição da Rolex como a marca mais conceituada do mundo deve-se à sua excelente reputação em produtos e serviços. O mercado de luxo conheceu dificuldades em 2016, crescendo apenas 1%, mas a marca suíça resistiu com sucesso ao teste do Apple Watch, que foi lançado com uma edição de luxo.