Início Notícias Têxtil

Inovação ataca fibras

Para produtos de moda, têxteis técnicos ou vestuário de performance, as fibras são o motor do desenvolvimento de produto na indústria têxtil e vestuário. Trevira, Creora, Outlast e Lenzing revelam algumas das propostas que podem impulsionar a inovação no sector.

Com mais de 60 anos de história, a Trevira ganhou fama com o seu portefólio de fibras e fios de poliéster, direcionado para distintos mercados. «As exigências de mercado e a inovação no produto potenciaram novos domínios de aplicação: sobressaem os “têxteis contratados”, para o mercado de design comercial, os produtos higiénicos e com particular relevo as fibras, bem como filamentos, para confeção», destaca a empresa no suplemento Fibras Dinâmicas, publicado na edição de abril do Jornal Têxtil (ver O negócio da moda). A oferta da empresa abrange a Trevira CS, para têxteis-lar intrinsecamente retardadores de chama, a Trevira Perform, com gestão da humidade, especialmente direcionada para vestuário funcional, e diferentes fibras para não-tecidos, aplicações técnicas e interiores de automóveis, muitas das quais serão apresentadas na próxima edição da Techtextil, que decorre de 9 a 12 de maio.

A Creora, por sua vez, destaca, neste mesmo suplemento, as diferentes versões da sua fibra de elastano. A creora Power Fit «é um elastano concebido para níveis excelentes de robustez e resistência ao calor, permitindo uma solidez fantástica», afirma a marca, detida pela Hyosung Corp e representada em Portugal pela Dtexcom Têxtil. O portefólio inclui ainda a creora eco-soft, desenvolvida para termofixação a baixa temperatura, que permite um toque suave e evita o amarelecimento, e a creora color+, com «excelente solidez especialmente em misturas com nylon».

Já a Outlast reforça o conforto térmico proporcionado pelos materiais com mudança de fase, que tem por base tecnologia originalmente desenvolvida para a NASA com o objetivo de proteger os astronautas das flutuações de temperatura no espaço. «A tecnologia Outlast é comparável ao gelo numa bebida: à medida que muda de sólido para líquido, absorve o calor e arrefece a bebida, mantendo a bebida à temperatura desejada durante um maior período de tempo. Os materiais com mudança de fase da Outlast funcionam da mesma forma e têm a capacidade de absorver, armazenar e libertar o excesso de calor», explica a Outlast Technologies.

Por seu lado, a Lenzing evidencia as suas fibras celulósicas, entre as quais as marcas Tencel, Modal, MicroModal, Viscose e Lenzing FR (com proteção ao calor e à chama). «Existe um pouco de natureza em cada produto fabricado a partir de fibras Lenzing e estas acompanham o utilizador durante todo o dia», resume a empresa, que usa as árvores como «matéria-prima sustentável para produzir fibras liocel da marca Tencel, as fibras da marca Lenzing Modal e as da marca Lenzing Viscose».

Conheça estas e outras ofertas da Trevira, da Creora, da Outlast e da Lenzing no suplemento Fibras Dinâmicas, que integra o Jornal Têxtil de abril de 2017 (ver O negócio da moda).