Início Notícias Têxtil

Modatex certifica competências da ITV

Em sinergia com várias empresas, o Modatex desenvolveu, ao longo de 2016, processos de certificação de competências de colaboradores através do sistema RVCC PRO – Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências Profissionais, numa iniciativa considerada fundamental para o futuro da indústria.

De acordo com a informação divulgada pela instituição de ensino, os processos de certificação de competências, desenvolvidos ao abrigo dos Centros Qualifica, permitiram a atribuição de uma certificação profissional baseada em competências adquiridas durante a experiência profissional, estimulando, também, a aprendizagem ao longo da vida.

«O reconhecimento de competências registou grande adesão por parte das empresas do sector, que encaram esta aposta na qualificação dos recursos humanos como fundamental para que possam estar mais preparadas para enfrentar os desafios que lhes são colocados», analisa o Modatex – Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confecção e Lanifícios depois de um ano ação.

Em termos de números, em 2016 foram emitidos 319 certificados em áreas como Costureiro/a Industrial de Tecidos (nível 2), Operador/a de Tecelagem (nível 2), Costureiro/a Industrial de Malhas (nível 2), Costureiro/a Modista (nível 2), Técnico/a Comercial, Técnico/a de Marketing, Alfaiate (nível 4), Modelista de Vestuário (nível 4) e Técnico/a de Logística. As certificações decorreram nas diferentes áreas geográficas abrangidas pelas delegações e polos do Modatex – Porto, Barcelos, Vila das Aves, Covilhã e Lisboa.

Os certificados, conseguidos depois da verificação de competências através de uma prova prática avaliada por um júri, tiveram lugar no posto de trabalho do profissional, «evitando assim que este precisasse de se deslocar para a realização da prova», sublinha o Modatex.

O RVCC PRO foi desenvolvido a partir de um diagnóstico técnico, que «identificou as competências existentes e as que eventualmente faltavam para a qualificação necessária segundo a estratégia da empresa», sendo o apoio prestado pela instituição de ensino gratuito.

Com os objetivos de «contribuir para a melhor coordenação estratégica e operacional da formação no sector, responder de forma eficaz às necessidades de qualificação, aperfeiçoamento e reconversão das pessoas e das organizações e apoiar tecnicamente a indústria têxtil e de vestuário», esta foi apenas uma das muitas iniciativas desenvolvidas pela instituição que nasceu na sequência da fusão do Citex (Porto), Civec (Lisboa) e Cilan (Covilhã) naquele que foi o seu 5.º ano de atividade (ver Modatex: venham mais cinco).