Springkode liga à indústria

Com pouco menos de um ano online, a plataforma Springkode veio trazer uma nova forma de ver a compra em “lojas de fábrica”. Atualmente com oito empresas no portefólio e, mais recentemente, oferta para homem, a startup está a valorizar a qualidade e o design “made in Portugal”.

Ativo torna-se premium

A marca de vestuário infantil, criada em 2005, conta atualmente com 17 lojas próprias em Portugal e está a expandir-se internacionalmente. Com foco no mercado europeu médio/alto, para a primavera-verão 2020 a Ativo terá ainda uma linha premium para rapazes.
Em resposta aos desafios de sustentabilidade económica, social e, sobretudo, ecológica, investigadores e designers estão a desenvolver alternativas aos processos e materiais convencionais da indústria da moda. Enzimas, raízes, colagénio e até estrume são algumas das mais recentes soluções.

Revista de Imprensa

Vídeo do dia

LES PORTUGAIS

video

Breves

Moda poupa gota a gota

A ameaça iminente de escassez de água nos países onde são produzidas as matérias-primas e produtos inerentes ao mercado da moda pode afetar a sustentabilidade do negócio. Várias empresas do sector não escondem a vontade de reduzir o impacto ambiental e combater a ameaça ao futuro.
O workshop “Comércio Têxtil na União Europeia: Quão diferente é do comércio com o resto do mundo?” tem lugar no próximo dia 26 de setembro e reúne associações e responsáveis de empresas e marcas como a Impetus, Têxteis Penedo, Tintex e Rita Noro em Guimarães.

Robots dão vida à passerelle de Nova Iorque

Os vestidos robóticos tomaram conta das passerelles na semana de moda de Nova Iorque. A moda e a tecnologia vão cada vez mais na mesma direção e caminham juntas para um mercado inovador. Entre carteiras capazes de carregar telemóveis e a presença do robot Sophia, os novos desenvolvimentos são cada mais surpreendentes

Presença obrigatória na Gallery Shoes

A feira de calçado de Düsseldorf deu por terminada, na passada terça-feira, a 5.ª edição, que contou com cerca de 400 expositores, 65% alemães e 35% internacionais, de perto de 600 marcas. O balanço é positivo, portanto não pôr lá os pés nem foi opção.
Milhares de incêndios estão a devastar a floresta da Amazónia, lançando uma crise no Brasil que é agora alvo de escrutínio internacional. A atração da moda pelo couro poderá ter alimentado este desastre, pelo que as marcas estão a tentar reverter os danos ambientais causados.

Mais Notícias

compete-2020-feder