Início Notícias Têxtil

132 milhões de euros para a ITV

O Fundo Ambiental escolheu três consórcios das fileiras do têxtil e vestuário, do calçado, e da resina natural, que vão mobilizar um investimento de 236 milhões de euros no âmbito da Bioeconomia Sustentável. Na indústria têxtil e vestuário foi selecionado o consórcio [email protected] liderado pelo CITEVE, com a participação de 54 parceiros e um investimento de 132 milhões de euros.

Os consórcios liderados pelo CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, pela APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e os seus Sucedâneos e pela ForestWise – Laboratório Colaborativo para a gestão integrada da Floresta e do Fogo foram selecionados pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Ação Climática em resultado do convite “Promoção da Bioeconomia Sustentável”.

«Prevê-se que os três consórcios agora selecionados, um por fileira, mobilizem 236,2 milhões de euros de investimento para os próximos quatro anos e envolvam 160 parceiros e entidades empresariais», indica a tutela, em comunicado.

Na fileira do têxtil e vestuário foi selecionado o consórcio [email protected], liderado pelo CITEVE, com a participação de 54 parceiros e um investimento de 132 milhões de euros. Já para a fileira do calçado, a escolha recaiu no consórcio BioShoes4all, liderado pela APICCAPS e envolvendo 68 parceiros e 75 milhões de euros de investimento, enquanto para a fileira da valorização da Resina Natural, as preferências ditaram o consórcio RN21 da ForestWISE, num projeto com 38 parceiros e a mobilização de um investimento de 29 milhões de euros.

A fase seguinte do concurso prevê que os três consórcios selecionados pormenorizem o Projeto Integrado até 3 de maio, devendo a assinatura do contrato ocorrer em junho.

A componente “Bioeconomia Sustentável” do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) contempla 145 milhões de euros para a valorização dos recursos biológicos e desenvolvimento da bioindústria sustentável e circular. O objetivo desta iniciativa é acelerar e alterar o paradigma na produção de produtos com alto valor acrescentado a partir de recursos biológicos, em alternativa às matérias de base fóssil.

Desta dotação, 129,5 milhões euros destinam-se ao financiamento de Projetos Integrados (têxtil e vestuário, calçado e resina natural) e o restante à Submedida Gestão Florestal e Apoio à Resinagem.

O apelo à constituição de consórcios, destinados a investir em inovação para produzir de forma ecologicamente sustentável e encontrar novos materiais e processos de fabrico, ocorreu a 10 de maio de 2021. Prevê 71 milhões de euros para a fileira do têxtil e vestuário, 41 milhões de euros relativos à fileira do calçado e 17,5 milhões de euros dirigidos à fileira da resina natural.