Início Notícias Têxtil

300 na Apparel Sourcing

França, Reino Unido, Turquia, Espanha e Itália contribuíram com o maior número de visitantes – mais de 80% eram estrangeiros – da Apparel Sourcing que, de 11 a 14 de fevereiro, recebeu mais de 300 expositores em Paris, Le Bourget.

Globalmente, os salões parisienses sob a alçada da Messe Frankfurt France registaram mais de 13 mil visitantes. Os novos visitantes viajaram para Paris vindos da América do Norte (mais de 7%) e do continente africano (mais de 26%), liderados pelos principais fornecedores da Europa, como Marrocos (mais de 25%) e Tunísia (mais de 15%). A edição de fevereiro recebeu ainda visitantes de países emergentes como África do Sul e Etiópia, país convidado.

O número de visitantes de países da Europa Oriental cresceu relativamente à edição de fevereiro de 2017, com a Rússia a acusar um salto de 38%, a Polónia mais de 15% e a Hungria a crescer 8%.

«No que diz respeito à Apparel Sourcing, fiquei muito contente por ver que os países que representam as novas alternativas de sourcing foram uma grande atração», reconheceu Michael Scherpe, presidente da Messe Frankfurt France.

Moda casual em destaque

Nesta edição, a moda casual esteve em evidência, tendo um peso de 80% na oferta do salão, com a estética urbana e descontraída e a grande oferta de moda infantil em voga. O segmento de lingerie acusou também crescimento e, sobretudo, um aprimoramento das competências dos expositores.

A escolha mais alargada de destinos de sourcing de vestuário, um dos principais objetivos da organização do salão, continua a chamar os executivos da indústria têxtil a Paris, Le Bourget. Além dos pavilhões do Bangladesh e do Paquistão, que sempre atraem muitos visitantes, a feira colocou em relevo outros mercados.

A Etiópia, país convidado, apresentou oito empresas com diferentes valências e algumas características especiais (como o 100% de algodão orgânico ou os corantes à base de café e de vinho).

«Fomos convidados, como parte da delegação etiópia, por isso, foi a nossa primeira vez no salão», contou ao Portugal Têxtil Charles Smith, chief business development officer (CBDO) da Velocity, especialista em denim e activewear com clientes em Espanha e Alemanha. «Correu muito bem para primeira presença, tudo funcionou bem», acrescentou.

Camillo Calami, diretor da Village Industry, cuja coleção de bolsas se mostrou muito popular entre os visitantes, resumiu o sentimento geral do pavilhão da Etiópia.

«Conversámos com um grande número de visitantes franceses e espanhóis, mas também com ingleses, alemães e holandeses. Os contactos provaram ser muito interessantes e, acima de tudo, muito variados: marcas de moda, consultores para terceirização e até cadeias de retalho», frisou.

As oito empresas do Myanmar foram extremamente bem-recebidas no salão de sourcing, com um fluxo constante de visitantes, na sua maioria europeus, mas também americanos.

Os participantes regulares da Apparel Sourcing Paris – China e Hong Kong, Índia, Turquia, Paquistão e Bangladesh – mantiveram a força.

Apple Li, representante do especialista em alfaiataria Hodo Group, sublinhou o impacto internacional da Apparel Sourcing. «É incontornável, na China, todos conhecemos a feira», afirmou. «O mercado francês é importante para nós, vendemos no Carrefour, por exemplo», concretizou a representante do grupo chinês que emprega mais de 2 mil pessoas e conta com uma filial em Espanha.

Ainda na edição de janeiro, a montra de acessórios da Apparel Sourcing Paris “Shawls & Scarves” teve dias muito movimentados, em particular para os fabricantes indianos. O algodão e o linho foram os mais procurados.

A Apparel Sourcing regressa a Paris entre os dias 17 e 20 de setembro.