Início Arquivo

A caminho do pódio

Nos primeiros dois meses de 2008, as importações americanas de vestuÁrio do Vietname cresceram 43% em relação ao mesmo período de 2007. JÁ as importações americanas de vestuÁrio da China caíram ligeiramente (menos 2,5%), pondo fim a um período de crescimento mensal constante. Quanto às importações de vestuÁrio do México, estas caíram 9,5% e as da índia aumentaram 8,6%. Em Março de 2007 havia a preocupação de que o programa do Departamento de Comércio norte-americano para monitorizar as importações de vestuÁrio do Vietname criasse tamanha incerteza e risco negocial que acabasse por desencorajar as exportações do Vietname destes produtos, e as fÁbricas no Vietname temiam que os importadores/retalhistas americanos retirassem as encomendas do Vietname» para outros países fornecedores que não estão sujeitos ao mesmo programa. Contudo, graças ao programa de monitorização de exportações» do Vietname para prevenir o dumping e os carregamentos ilegais, e com base na experiência actual, uma vez que o programa jÁ entrou em vigor, as importações de vestuÁrio dos EUA a partir do Vietname continuaram a aumentar. Em 2007, as importações norte-americanas de vestuÁrio do Vietname aumentaram 34% e atingiram os 4,4 mil milhões de dólares, atingindo 43% do total de importações dos EUA a partir do Vietname, que no conjunto representam 10,6 mil milhões de dólares. A remoção de quotas americanas nas importações de vestuÁrio do Vietname desde Janeiro de 2007, quando o Vietname se tornou membro da Organização Mundial de Comércio, contribuiu para este aumento nas importações de vestuÁrio do Vietname. Em termos comparativos, em 2006 as importações de vestuÁrio do Vietname estavam ainda abaixo da quota, e aumentaram 18% em 2006 (3,4 mil milhões de dólares) em relação a 2005 (2,9 milhões de dólares). Em 2007, o Vietname era o quarto fornecedor do mercado de vestuÁrio americano. Mas é muito provÁvel que o Vietname vÁ ultrapassar tanto o México como a índia, para se tornar no número dois em 2008. A China continua a liderar no mercado de vestuÁrio dos EUA, com uma quota de 33,5% em 2007, mas estÁ a perder competitividade e pode crescer apenas para os 34,4% de quota de mercado em 2008, ou até vir a perder quota de mercado, se a tendência actual se mantiver. O México vai continuar a perder quota de mercado, dos 8% em 2005 para menos de 5% em 2008. A índia vai manter-se relativamente constante, enquanto que a quota de mercado do Vietname cresce rapidamente, dos 3,2% em 2005 para cerca de 6% e o segundo lugar em 2008, segundo as projecções para 2008, tendo por base os dados das importações americanas de 2005 a 2007 e tendo em conta a tendência actual. Com efeito, a maior restrição relativamente às exportações de vestuÁrio do Vietname para os EUA jÁ não é o acesso ao mercado ou o programa de monitorização das importações dos EUA, mas as carências ao nível das infra-estruturas no Vietname (falta de portos de Águas profundas e outras infra-estruturas de transporte) e os crescentes problemas laborais (falta de trabalhadores, aumento continuado dos custos laborais e greves).