Início Notícias Marcas

A entrada luxuosa da Cockess

A primeira campanha publicitária da marca de vestuário é uma espécie de passadeira vermelha estendida à beira-douro – a cidade do Porto serviu de pano de fundo às peças de expressão luxuosa em pelo sintético colorido. A Cockess foi apresentada à ala feminina este mês, mas já pensa no guarda-roupa de homem.

A ideia começou a ser trabalhada há um ano por Miguel Esteves, fundador da Cockess, que desde logo destaca ao Portugal Têxtil o duplo significado que o nome da marca carrega. «O nome tem um enredo peculiar. Cock significa galo em inglês, mas tem um significado mais abusivo se for visto pelo lado calão. Tudo foi pensado. O arrojo é total», não tivesse a Cockess nascido em Barcelos e materializado um conceito de exclusividade irreverente.

A gama de produtos disponível – a primeira coleção da Cockess é dedicada ao outono-inverno 2016/2017 – vibra em casacos compridos e curtos, vestidos, capas e blusas. Os casacos e capas oscilam entre 440 e os 890 euros e os vestidos apresentam um leque de preços entre os 350 e os 390 euros.

O material privilegiado é o pelo sintético e, por isso, as peças jogam com vários comprimentos de pelo, diferentes tonalidades e sublimações. «Tentámos usar o sentido “tato” na coleção. Causar a vontade de tocar. Daí o uso intenso do pelo sintético», revela o fundador da marca que recorre à subcontratação de serviços de costura, confeção e modelagem.

Sem formação na área – Miguel Esteves é técnico superior de turismo –, o fundador da Cockess considera-se um «autodidata que cresceu no mundo têxtil» e nutre uma paixão desmedida pelo bem-vestir. «Faço a análise de tendências, decido toda a matéria-prima, concebo o design e remeto para produção. Tudo advém do meu sentido estético», sintetiza ao Portugal Têxtil.

Atualmente, as vendas da Cockess são fechadas no canal online, mas a revenda em lojas multimarca será o próximo passo, considerando os vários pedidos que chegam ao fundador da marca. A consolidação no mercado nacional e o arranque da internacionalização elevam-se também no horizonte da Cockess, tal como o desenvolvimento de uma linha de homem. «Os planos passam por trabalhar coleções masculinas, sempre dentro da temática inicial: exclusividade versus arrojo», adianta Miguel Esteves.