Início Arquivo

A escalada da Timberland

A aposta asiática da Timberland começa, cada vez mais, a dar os seus frutos. No terceiro trimestre do corrente ano, os lucros da empresa norte-americana cresceram 40% graças à procura no continente asiático ter superado a verificada nos EUA. Os resultados líquidos do terceiro trimestre atingiram, assim, os 52 milhões de dólares contra os 37 milhões que a empresa ganhou no mesmo período do ano passado. Em termos de receitas, a marca reconhecida pelas suas famosas botas e preocupações ambientais atingiram nesse período um valor de 432 milhões de dólares. Um crescimento de 2,5% que poderia ainda ser maior em 12 milhões se a taxa de câmbio se tivesse mantido constante. «Os resultados financeiros de 2010 são a prova clara de que a estratégia de focalização nos investimentos na marca Timberland e na modernização do negócio estão claramente a trazer os resultados esperados», afirmou Jeffrey Swarz, presidente-executivo da Timberland. «Vemos evidências concretas, quer na distribuição, quer nas nossas próprias lojas de que estamos a crescer significativamente nas colecções de artigos Outdoor e na linha Earthkeepers», acrescentou. Em termos regionais, as vendas realizadas na América do Norte decresceram 3,6% para os 181 milhões de euros, graças à queda das vendas de calçado. Na Europa, as vendas atingiram os 204 milhões de euros. Um crescimento de 5% que teria atingido os 12,3% se a relação dólar/euro se tivesse mantido. Apesar da razoável prestação da divisão europeia foi a asiática a estrela do trimestre. Naquele continente, as vendas subiram quase 20% para os 47 milhões de euros, lideradas pelos bons resultados verificados na China e na Formosa. Na divisão por categorias de produto, o maior crescimento veio da área do vestuário e acessórios com um incremento de 11,1% para os 106 milhões de dólares. As vendas de calçado mantiveram-se estacionárias e a receita proveniente do licenciamento da marca cresceu 10% para os 6 milhões. As vendas da divisão de retalho da marca incrementaram-se em 7,2%.