Início Notícias Têxtil

A herança da Bulhosas

A bicicleta encostada à porta do museu da Bulhosas convida quem lá passa a uma viagem no tempo. Recuamos 82 anos, altura em que Alberto Rodrigues Bulhosa abria uma oficina para impressão de conteúdos gráficos para forros e tiras para chapéus, ao mesmo tempo que dava inicio a um legado que perdura, hoje, na terceira geração.

Apresentada, recentemente, no roteiro de turismo industrial de S. João da Madeira (ver Novo trio de ataque no turismo), a Bulhosas destaca-se pela inovação e diferenciação dos produtos que resultam do investimento regular em equipamento industrial, estratégia adotada pelos netos, Alberto e Sílvio Bulhosa.

A Bulhosas [Irmãos] distribui-se pelos sectores de serigrafia e tipografia com secções de offset e estamparia digital, estampagem, tampografia e flexografia, assegurando a produção de quantidades massivas de material gráfico.

Atualmente, a empresa exibe um leque com mais de 10 mil referências de produtos, desenvolvidos para milhares de marcas de diversos sectores, em 20 países.

Nos anos 70 foi introduzida a injeção de plásticos no painel de serviços da Bulhosas, estabelecendo-se assim as duas vertentes que, atualmente, compõe as suas áreas de negócio.

O portefólio de produtos varia entre etiquetas amovíveis, rótulos adesivos, brochuras, catálogos, embalagens, cabides e outros componentes de plástico.

A empresa hoje dirigida por de Alberto e Sílvio Bulhosa tem ainda reservadas especialidades patenteadas como selos de garantia com numeração sequencial pelo instituto dos vinhos do Douro e do Porto, kits portáteis para telemóveis e explosivos utilizados pelas forças de segurança dos EUA. Em parceria com dois investigadores da universidade de Aveiro, foi desenvolvido um mecanismo anticontrafação através da criação de um ADN artificial inserido na tinta dos rótulos e etiquetas que permite confirmar a autenticidade dos produtos.

A terceira geração da Bulhosas soube manter o espírito inovador e construiu, dentro das instalações, um laboratório de experimentação aberto a designers, artistas e profissionais externos que tenham interesse em testar novos conceitos e produtos.

A Bulhosas conta com um efetivo de 45 pessoas e exporta 40% da produção cujo mercado principal é França, seguido de Inglaterra, Suíça e Alemanha.

Alberto Bulhosa afirma que as «exportações em valor continuam a crescer, sobretudo no mercado da união europeia», apontando para um final do ano com resultados ligeiramente superiores aos do ano passado.