Início Notícias Tecnologia

A moda do futuro

Das solas de calçado desportivo desenvolvidas com recurso à impressão 3D a fios obtidos a partir de uma combinação que inclui plástico reciclado retirado do fundo do oceano, o futuro da moda desenha-se também pela intervenção da tecnologia, estimulada pela criatividade.

Coleções originadas a partir de redes de pesca, calçado desportivo desenvolvido com recurso à impressão a três dimensões (3D), padrões inspirados pelos favos de mel – o futuro da moda está a ser escrito pelas tecnologias emergentes, graças a novos materiais e através da ciência do design têxtil.

Esta fonte de novas possibilidades está a alimentar colaborações verdadeiramente inspiradoras que vão esticando os limites da criatividade. O Jacquard Project (ver Jeans inteligentes) figura-se como o melhor exemplo mas, a par desta, outras interessantes parcerias estão a ser desenvolvidas. O The Wall Street Journal selecionou seis exemplos do futuro da moda.

Fios de plástico reciclado

Uma colaboração entre a marca holandesa G-Star, a Bionic Yarn – uma startup fundada por Tyson Toussant e Pharrell Williams – e a Parley for the Oceans – uma associação que alerta para a poluição dos oceanos – propõe o projeto RAW for the Oceans, que utiliza plástico reciclado e desperdícios retirados do oceano para os transformar em vestuário. A coleção de natureza ecológica (disponível online para este outono-inverno) inclui peças como jeans, casacos, coletes, camisolas e t-shirts, para homem e mulher.

Moda e tecnologia

O designer japonês Issey Miyake é reconhecido pela sua capacidade de reinvenção, assente na constante exploração da relação entre os têxteis e a moda. As suas criações são desenvolvidas segundo a premissa de que qualquer material – como a ráfia ou o papel washi – pode ser transformado em tecido, desde que se adapte à forma e movimento corporais. Responsável por agitar o status quo da moda nos anos 1980 e 90, Miyake integrou, desde cedo, a tecnologia no seu trabalho, resultando daí materiais técnicos inovadores que originam peças plissadas, estruturais e avant-garde (ver Hiroxima, meu amor).

O próximo passo da Adidas

Fruto da parceria firmada entre o rapper Kanye West e a gigante do desporto Adidas, as mais recentes sapatilhas Yeezy Boost representam a última investida em calçado desportivo assente no conforto e na sustentabilidade dos materiais que se assumem como uma segunda pele para o utilizador. O próximo passo da marca desportiva é integrar o Futurecraft 3D no calçado desportivo, um novo conceito que recorre à impressão 3 D para customizar a sola intermédia da sapatilha de acordo com as necessidades de cada pé.

O contributo da natureza

A Comme des Garçons é reputada pelo seu tailoring complexo, que combina tecidos de última geração com um estilo sustentado na tecnologia. As peças com padrões inspirados nos favos de mel incluídas na coleção outono-inverno 2015/2016 são apenas um dos exemplos de como a marca japonesa se apropria de formas naturais para dar corpo aos designs.

Para a chuva

O poliuretano (PU) tem sido frequentemente explorado na moda graças, também, à ligação dos designers Rachel Comey e Patrik Ervell – conhecido pela utilização de materiais inusitados nas suas coleções – àtêxtil Maharam, para a qual desenvolverem uma parka impermeável, produzida a partir de poliuretano.

Redes e resíduos

A marca de vestuário da estrela do surf Kelly Slater e do veterano de menswear John Moore tem como pilar a sustentabilidade. Para a sua primeira coleção, a Outerknown uniu forças com o grupo italiano Aquafil para uma linha de outerwear em econyl, umaa poliamida obtida a partir de redes de pesca recicladas e outros desperdícios encontrados no oceano.