Início Notícias Moda

A moda do próximo verão

Na antecipação daquilo que, nas próximas semanas, vai ser sumarizado pelos portais da especialidade – à medida que vão sendo conhecidos os desfechos das passerelles das principais marcas de moda –, o portal WGSN fez já uma seleção que permite conhecer as tendências-chave da primavera-verão 2018.

Já arrancou a semana de moda de Nova Iorque, seguir-se-á a de Londres, a escala em Milão, depois, e o périplo pelas capitais de moda internacionais ficará concluído em Paris.  Os calendários dedicados à próxima estação quente vão permitir alinhar as tendências da temporada, mas a equipa de preditores do portal já está capaz desvendar quais as coordenadas que orientaram os génios criativos da moda em direção à primavera-verão 2018. Em destaque está uma forma limpa e refinada de vestir e um posicionamento individualista em relação ao guarda-roupa.

Capricho primaveril

Este tema é a evolução da tendência “Festa no jardim” das coleções pré-primavera/verão, em que a feminilidade e a excentricidade são recorrentes. A macrotendência gravita em direção ao regresso ao requinte feminino, com a elegância expressa em peças ultrafemininas. Vestidos idílicos, que se arrastam no chão, em sedas puras e fluidas, e florais em materiais delicados estão em destaque. As transparências surgem como uma importante tendência e inspiram a necessidade de combinações elegantes.

Cores: rosa claro, bege, branco, creme-de-leite, vermelho, verde, tons pastel;

Estampados e padrões: jardins com flores de diferentes cores e tamanhos;

Materiais: seda, chiffon, crepe da China;

Peças: casacos alongados, vestidos em camadas, blusas com folhos, calças de cintura alta, saias-lápis justas, saias longas.

Tradições transformadas

Neste tema, as peças com silhuetas modernas são criadas com precisão arquitetónica, o que confere um ar sofisticado. Os modelos são feitos com detalhes que contrastam para criar formas inusitadas e curvilíneas, que inspiram peças de alfaiataria. Os tecidos são sobrepostos em camadas, criando silhuetas minimalistas, que respeitam as formas do corpo e com toque artesanal.

Cores: branco, tons neutros, castanho, cinzento;

Estampados e padrões: riscas, desenhos gráficos num só tom, bolas;

Materiais: linho, sarja, cetim;

Peças: calças largas, vestidos assimétricos, túnicas, camisas alongadas, blazers exagerados, casacos.

Opulência do pavão

Esta tendência é inspirada pela arte, pelos museus e teatros, numa mistura eclética de tradição e opulência. A ideia de uma total individualidade é encapsulada em peças que têm um look único. Dando continuidade à influência das coleções extravagantes e inspirados pela criatividade e excentricidade da Gucci de Alessandro Michele, neste tema, os designers exploram referências de uma série de épocas, bebendo inspiração na História. A combinação de influências desportivas, arquitetónicas e da realeza criam uma proposta individualista e perfeita para o vestuário moderno.

Cores: amarelo, vermelho, laranja, rosa vibrante, preto, dourado;

Estampados e padrões: florais, ilustrações desenhadas à mão, referências históricas e arquitetónicas;

Materiais: brocados, seda, tule, lantejoulas;

Peças: casacos, saias e vestidos de inspiração vintage.

Neonostalgia

A “neonostalgia” é a evolução do tema “Férias e lazer” das coleções pré-primavera/verão, numa explosão de cores. As peças tradicionais são reimaginadas em cores vibrantes. Esta tendência é inspirada por um forte sentido de individualismo, ao fundir moda urbana, alfaiataria e influências desportivas. O estilo e o conforto, característicos das peças práticas dos anos 1990, oferecem as coordenadas, juntamente com a ideia da mulher feminina e poderosa. As peças são sobrepostas ou combinadas informalmente com peças de alfaiataria contemporânea e modelos elegantes de noite, de forma a criar um coordenado descontraído e inovador.

Cores: amarelo, laranja, lilás/violeta, azul, cinza, vermelho, bege;

Estampados e padrões: grafismos ousados, bolas, padrões florais, tropicais e exóticos;

Materiais: tecidos sintéticos, brilho, denim;

Peças: modelos dos anos 1990, blazers oversized, vestidos-lingerie, calças justas/leggings, calças desportivas.

Marinheiro

A moda utilitária de inspiração marítima continua a ser um dos temas-chave da primavera-verão. Os florais tropicais e as riscas ganham novas abordagens em peças elegantes e casuais de estilo utilitário. Plantas exóticas e texturas inspiram estampados e padrões.

Cores: azul-marinho, vermelho, verdes escuros, branco, gengibre, magenta;

Estampados e padrões: flores tropicais, riscas, referências nipónicas;

Materiais: algodão, seda e tecidos transparentes;

Peças: calças fluidas, vestidos assimétricos, casacos de inspiração vintage, calças curtas, vestidos justos, peças de estilo pijama, camiseiros.

Espírito Natural

As paisagens multiculturais servem de palco a este tema eclético e vibrante. A tendência “Neoviajante” da pré-temporada é reinterpretada com formas geométricas, releituras ao estilo country e sobreposições. As peças trabalhadas à mão combinam-se com itens de estilo safári. A atmosfera boémia, as referências multiculturais e o espírito pioneiro dos viajantes da Rota da Seda influenciam peças, estampados e padrões. A estética dos anos 1970 é vertida para os vestidos com sobreposições e comprimento até ao chão feitos de materiais leves e esvoaçantes.

Cores: bege claro, rosa-areia, caqui, vermelho, amarelo, azul-marinho, branco, gengibre;

Estampados e padrões: influências tribais, formas geométricas islâmicas, inspiração multicultural, pormenores elaborados;

Materiais: materiais com texturas, seda leve, chiffon, linho;

Peças: vestidos boémios fluidos, peças de estilo safári, calças fluidas e leves.