Início Arquivo

A moda infantil para o Verão 2005

A situação torna-se cada vez mais radical. “O cliente – esse ser desconhecido” foi uma piada corrente há uns tempos no comércio a retalho alemão. Mas, entretanto, muitos comerciantes perderam a vontade de dizer piadas. Na última época de Inverno e nesta época corrente de Verão, muitos foram confrontados com a “imprevisibilidade dos clientes”. “Às vezes não temos nenhuns clientes e, depois, temos vendas excelentes. Às vezes não ligam nada aos preços e, outras vezes, procuram apenas artigos em promoção logo no início da estação”, é a experiência de um comerciante alemão.

Não se pode levar a mal. Os consumidores alemães estão completamente inseguros relativamente aos preços. Após campanhas como “A forretice é fixe” e “A mãe de todos os saldos”, slogans utilizados por grandes cadeias de retalho e difundidas através dos grandes canais de televisão, os clientes já não sabem os preços reais dos artigos oferecidos. Hoje, algumas calças custam 80 euros e, na próxima semana, o preço é metade. Assim, a confusão por parte dos clientes é compreensível.

Agora, a vaga de descontos mostra também os seus resultados nas cidades alemães mais pequenas. “Tivemos de diminuir a nossa secção de roupa para crianças devido ao aumento da concorrência pelas grandes cadeias verticais”, explica a dona de uma casa de roupa em Singen, uma cidade com cerca de 45.000 habitantes. Uma outra loja na mesma cidade acabou por completo com as suas ofertas para crianças.

São sobretudo os rapazes que causam problemas aos comerciantes a retalho. Em primeiro lugar não gostam de entrar nas secções de crianças porque acham que já não têm idade para comprar aí. Preferem as secções de desporto ou de Young Fashion que acham muito mais adequadas. Em segundo lugar, são os pais que lhes facilitam a vida e não insistem muito. Estão contentes se os seus filhos usam umas sapatilhas e calças curtas durante todo o Verão.

Como na área de moda em geral, existem duas tendências paralelas também no sector de roupa para crianças. Marcas como Tommy Hilfiger têm uma boa procura e esgotam-se cedo. “Estamos muito contentes com marcas como Polo Ralph Lauren”, conta a dona duma loja de roupa. A sua opinião é representativa do ramo onde se verifica uma tendência para artigos de alta qualidade e de preços elevados. Ao mesmo tempo, aumenta o segmento dos preços baixos. “As raparigas compram umas calças de ganga da Diesel a um preço alto e, ao mesmo tempo, levam uma t-shirt por 9 euros”, explica uma especialista da área.

A estrutura de preços é mais importante do que nunca. No mercado alemão estabeleceu-se 9,95 euros como preço de entrada para t-shirts de marca. Na situação actual, este preço pode ser visto como intermédio e é oferecido por marcas como s.Oliver, Tom Tailor, Mexx e Esprit. Através de marcas próprias as grandes casas de moda conseguem vender t-shirts ainda mais baratas. “Vendem-se através dos preços e das cores”, explica um especialista da área. Mesmo assim, as grandes casas necessitam de preços mais altos e são os produtos de qualidade elevada que lhes permitem praticar estes preços. Os primeiros produtores já reagiram e aumentam as suas ofertas a preços mais elevados. Ao mesmo tempo afinam a gestão de mercadoria para reagir ainda mais rapidamente às necessidades do mercado. É essencial que a mercadoria esteja disponível no momento certo e chegue às lojas quando estas precisam dela.

Na época de Primavera/Verão passada foi o que aconteceu. Apesar das fracas vendas houve faltas na área de roupa para crianças: vestidos em todos os tamanhos, calças de ganga – sobretudo lavagens com cores escuras – e casacos para raparigas seja de ganga, seja de pele.

Os produtores, em geral, não se querem vincular por muito tempo. Colecções com um prazo longo evitam-se. São sobretudo as colecções rápidas que atraem os produtores e também os comerciantes. A reprodução de artigos com boas vendas está na moda e oferecem uma boa oportunidade ao comércio alemão para aumentar os seus volumes de venda. “As colecções da PJE e da Marc O’Polo que encomendámos de novo tiveram uma venda excelente”, conta um comerciante. São as grandes marcas que conseguem estabelecer-se no mercado alemão. Oferecem permanentemente produtos novos, normalmente a um ritmo mensal, e, assim, conseguem estabelecer-se no segmento médio do mercado alemão. Quase todos os comerciantes consultados disseram que obtiveram bons volumes de venda com a s.Oliver, Tom Tailor e Esprit. Não vendem apenas produtos a bons preços, mas oferecem também produtos de qualidade mais elevada.

Os gestores de produto esforçaram-se como nunca para oferecer produtos e preços feitos à medida do mercado alemão, mesmo assim temos de esperar para ver com que velocidade vão conseguir reagir às tendências do mercado. Até agora, ainda ninguém sabe quais os temas que vão ser procurados nesta época de Outono. Mas, pelo menos, as preferências do comércio a retalho alemão para a próxima época de encomendas são conhecidas.

Preferem, sem dúvida, modelos mais tradicionais. Para as raparigas, camisas e camisolas justas, com calças e saias largas. A moda infantil masculina, em geral, torna-se menos arrojada, as calças apresentam menos feitios e os modelos com lavagens são mais raros. Em geral, vai ser uma moda mais “limpa”, mas desportiva.

Os anos cinquenta estão a voltar. Os cortes dos vestidos e das saias para meninas são mais largos. Modelos com pintas ou flores encontram-se nas colecções para todas as faixas etárias. Os corsários já obtiveram boas vendas no ano passado e estão também de volta. Esta nostalgia não se verifica no masculino onde aparecem apenas alguns modelos com motivos publicitários dos EUA e com carros dos anos cinquenta.

O tema mais interessante é o desporto. Saias curtas com dobras em combinação com camisas polo atraem muito interesse por parte dos comerciantes. Para os rapazes são camisas de Rugby em todos os estilos. Em geral, é uma moda que transmite uma imagem mais limpa, melhor tratada.

Além disso, encontram-se t-shirts de futebol em todas as cores (verde, amarelo, vermelho) e com os nomes de diversos países. As calças são mais simples e os cortes mais estreitos. Os casacos sem capuz, mas com golas pertencem a esta nova imagem. As cores ou são fortes como vermelho, azul, azul claro e branco ou pasteis.

Durante o Verão voltam as flores do Havai e as riscas multicores nos vestidos, camisas e calças. Os modelos para as raparigas apresentam, em geral, cores mais fortes do que os dos rapazes. Mesmo assim, encontram-se camisas para rapazes em cor de laranja, amarelo, turquesa ou vermelho.