Início Notícias Têxtil

A paixão têxtil do Interior

Apesar do posicionamento geográfico condicionar, por vezes, a sua atividade, empresas como a Paulo de Oliveira, Fitecom e Twintex, apoiadas pela Universidade da Beira Interior, mostram que a ITV da região está de vento em popa, com investimentos em tecnologia, I&D, recursos humanos e sustentabilidade.

Polo de referência no sector laneiro, a Beira Interior tem superado as adversidades – nomeadamente as apontadas pelo Movimento pelo Interior – e reforçado a sua aposta na inovação, quer em termos de maquinaria, com empresas equipadas com o “state-of-the-art”, quer em termos de criatividade e desenvolvimento de novos produtos, ao mesmo tempo que preserva um know-how de décadas.

Paulo de Oliveira (ver «Olhar para a frente é que é o desafio»), Fitecom e Twintex são exemplos desse dinamismo no Interior e dessa capacidade de ir mais longe, com novos projetos e ideias que pode ficar a conhecer na edição de setembro do Jornal Têxtil.

Percorremos ainda os corredores e as oficinas – autênticas minifábricas têxteis – da Universidade da Beira Interior e revelamos os projetos de investigação e a oferta formativa desta instituição de ensino superior, que já se tornou uma referência no Design de Moda.

Referência internacional é igualmente a Cortadoria Nacional de Pêlo, que tem um novo projeto que promete revolucionar o mercado das fibras e dos curtumes. Já a Heliotextil tem conquistado um lugar próprio nos têxteis eletrónicos e sob a chancela da marca própria BraceIn (para gestão de eventos) dominou nos grandes festivais de verão em Portugal.

As empresas portuguesas, de resto, parecem ter regressado em grande após o período de férias e estar prontas a explorar novas possibilidades de negócio.

A Etexba, “irmã mais nova” da Têxtil Luís Simões, vai estrear-se na Première Vision Paris e leva na bagagem muitas novidades, incluindo uma marca própria e um site de comércio eletrónico que pode exponenciar a sua presença internacional, como contam, em entrevista, o administrador Luís Marques e o diretor comercial e industrial Manuel Lopes (ver «Esta estamparia estava parada no tempo»).

A Familitex, por sua vez, está a investir numa nova área de negócio, que estará operacional em setembro do próximo ano, e a Solinhas vai arrancar para a presença em certames profissionais com o objetivo de chegar a mais mercados e diversificar as exportações.

Conheça ainda a PBP Textiles, uma empresa familiar que tem vindo a crescer com a sua oferta de robes e toalhas, acompanhe o percurso da Alda Têxteis, cuja criatividade é, cada vez mais, valorizada pelos clientes, e espreite os projetos da Elmate para combater a escassez de mão de obra e promover o desenvolvimento da empresa, que conta já 30 anos.

Os números importantes para o sector fazem igualmente parte desta edição do Jornal Têxtil, com o Barómetro CENIT e os dados do comércio internacional, assim como o suplemento “Certificar para ganhar”, com informação sobre a Bluesign e a Tratave.

Uma edição recheada de novidades para aquecer a rentrée. Se ainda não é assinante, aproveite a volta ao trabalho para fazer a sua subscrição (aqui) e assegurar que recebe, na sua empresa ou em casa, informação de qualidade e isenta sobre tudo o que se passa na Indústria Têxtil e Vestuário, aquém e além-fronteiras.