Início Notícias Moda

A resistência da moda em Milão

Apesar da preocupação com a situação na Ucrânia, sobretudo por parte de designers e manequins, a indústria da moda manteve-se fiel a si própria e a apresentação das novas coleções prosseguiu na Semana de Moda de Milão, onde Alexandra Moura mostrou ontem “Lar Doce Lar”.

Max Mara[©Camera Nazionale della Moda Italiana]

A invasão da Ucrânia por parte da Rússia colocou muitos semblantes apreensivos dentro e fora da passerelle de Milão, onde, de 22 a 28 de fevereiro, vários grandes nomes da moda, da Emporio Armani à MM6 Maison Margiela, passando pela Prada e pela Moschino, estiveram a apresentar as coleções para o outono-inverno 2022/2023.

Dolce & Gabbana [©Camera Nazionale della Moda Italiana]
Anna Mazzhyk, designer e diretora criativa ucraniana de 22 anos, confessou à AFP que no dia da invasão, a 24 de fevereiro, «estava a chorar antes do primeiro desfile, porque é difícil para mim». Também a manequim belga Louise Robert revelou que agentes ucranianos de modelos no backstage do desfile da Prada estavam visivelmente perturbados, tentando perceber quando e como poderiam regressar a casa. «Foi como uma bomba, uma bomba emocional», afirmou Louise Robert. «Penso que a maior parte das pessoas estava arrasada, mas não podemos fazer política aqui dentro», sublinhou Etienne, um repórter de imagem francês presente no desfile da Max Mara.

Moschino [©Camera Nazionale della Moda Italiana]
As apresentações da Semana de Moda de Milão acabaram, por isso, por ser uma distração bem-vinda da difícil realidade que se vive na Europa, com muito para ver, não só dentro da passerelle, mas à sua margem, com convidados como Kim Kardashian na fila da frente do desfile da Prada, onde desfilou a irmã Kendall Jenner, e Sharon Stone, na Dolce & Gabbana.

Precisamente na Prada, os co-designers Miuccia Prada e Raf Simons conjugaram tops brancos simples com saias justas adornadas com couro ou painéis transparentes na zona da coxa. Os ombros foram realçados em vestidos pretos que incorporaram correntes no pescoço, enquanto sobretudos em tweed deram um toque de extravagância.

Prada [©Camera Nazionale della Moda Italiana]
Antes, Ian Griffiths, para a Max Mara, mostrou uma coleção confortável em tons de castanho e creme e com texturas ricas que conferiram uma sobriedade reconfortante, enquanto, no dia anterior, Roberto Cavalli optou por uma coleção bem mais teatral com o que o consultor criativo Fausto Puglisi chamou de «vestidos-jaula», com faixas de tecido a cobrir apenas partes estratégicas do torso, juntamente com os estampados animais que são uma imagem de marca da casa de moda.

Pela passerelle de Milão passou ainda a coleção da Moschino, com vestidos sumptuosos a desfilarem num cenário inspirado pela cena do quarto do filme “2001: Odisseia no Espaço” de Stanley Kubrick, e as silhuetas em triângulo invertido da Dolce & Gabbana, que invocou o universo do metaverso.

Roberto Cavalli[[©Camera Nazionale della Moda Italiana]
Alexandra Moura em casa

A passerelle acolheu igualmente a mais recente coleção da designer portuguesa Alexandra Moura, batizada “Lar Doce Lar”. «Esta coleção faz uma introspeção acerca do que “lar” representa para cada um de nós.

Alexandra Moura [©Portugal Fashion]
Alexandra Moura [©Portugal Fashion]
Nos tempos que vivemos, é no nosso lar que encontramos conforto e segurança. No nosso lar sabemos o que encontramos, sejam memórias ou objetos que nos acompanham ao longo da vida. É um mundo nosso onde podemos ser e estar como queremos. O conforto do vestir, do estar, do viver a casa», descreve a designer.

Um conceito traduzido em peças confortáveis, que combinam o lado mais urbano e silhuetas alusivas ao streetwear com um toque mais clássico.

Alexandra Moura [©Portugal Fashion]
Alexandra Moura [©Portugal Fashion]
Os estampados desenvolvidos para a coleção e os tecidos remetem aos vários elementos da decoração da casa, como o feltro borbotado, a fazer lembrar os cobertores, as malhas tartan a remeter para as mantas, a napa que recorda os sofás e cadeirões de pele.

A presença da designer em Milão contou, mais uma vez, com o apoio do Portugal Fashion, que, antes da sua próxima edição em Portugal, agendada para 16 a 19 de março, irá igualmente apoiar a presença da designer Susana Bettencourt no showroom Tranoi, em Paris, que decorre de 4 a 7 de março.