Início Arquivo

A roupa também é inteligente

Jornal Têxtil (JT) – Era uma vez um sonho…Como foi que tudo começou?António Câmara (AC) – A YDreams nasceu a Junho de 2000 a partir de um grupo de investigação da FCT-UNL. A oportunidade foi um concurso internacional promovido pela então Telecel para desenvolver mapas para telemóveis. Ganhámos esse concurso e com ele o financiamento que nos permitiu criar a empresa.JT – Como entra a YDreams no “negócio” dos têxteis inteligentes?AC – Os investigadores da YDreams participaram em 1996 na criação de roupa inteligente que incluía sensores nas mangas de um casaco, uma unidade de processamento e óculos de realidade virtual. Com essa roupa, as pessoas podiam abanar os braços e visualizar um vôo virtual nos óculos. Essa roupa foi exibida na Moda Lisboa desse ano.Quando surgiu a oportunidade de submeter com um projecto nesta área num concurso promovido pela European Space Agency aproveitámos. Fizémo-lo em consórcio com o Miguel Rios, Instituto de Telecomunicações, Lousafil e Iberomoldes. Esse projecto recebeu o nome de I- Garment.JT – Que divisão da empresa é responsável por esta área?AC – A Divisão de Qualidade de Vida.JT – Quais os principais projectos desenvolvidos no âmbito dos têxteis inteligentes?AC – Para além do I-Garment, a YDreams trabalha neste momento com a Filobranca no desenvolvimento de t-shirts interactivas.JT – Quem são os seus principais clientes nesta área?AC – O I-Garment está na fase de testes e está orientado para serviços de protecção civil e bombeiros. Estamos a planear uma adaptação para operadores de poços petrolíferos.O projecto das T-shirts interactivas pretende criar um produto para a juventude.JT – Quais os projectos de têxteis inteligentes que já chegaram ao mercado?AC – Neste momento ainda não chegámos ao mercado. A fase de teste é necessáriamente longa. Mas sentimos uma procura latente nomeadamente na área das t-shirts interactivas.JT – Que balanço fazem da estreia no salão Modtíssimo em Outubro último? E que desenvolvimentos foram aí apresentados?AC – Detemos activamente uma área de desenvolvimento de projectos na área dos têxteis interactivos, a vários níveis de actuação, em áreas como a segurança pública, protecção civil, desportos e saúde.Foi muito bom termos dado a conhecer a YDreams nesta área, tendo sido muito interessante perceber que as pessoas estão muito receptivas a estas novas soluções e reconhecem a oportunidade de apostar em novas formas que envolvem o tema da segurança operacional.JT – Em que ponto se encontra o processo de internacionalização da Ydreams?AC – A YDreams tem representações em Xangai, Rio de Janeiro, Boulder (Colorado) e Barcelona. Abrirá um escritório em Londres no primeiro trimestre de 2007.JT – Quais são os principais mercados da YDreams?AC – Neste momento, o principal mercado é ainda o europeu mas em 2007 esperamos um crescimento explosivo nos EUA:JT – Quantas pessoas trabalham na YDreams? E quais são as características essenciais para ser um “YDreamer”?AC – Trabalham 120 pessoas. A característica essencial é a paixão e o gosto pela aventura.JT – Que volume de negócios realizou a empresa em 2005, e qual a previsão para 2006?AC – A YDreams facturou 2,3 milhões de Euros em 2005. Ainda não fechou as contas para 2006, um ano de grandes mudanças devido à entrada de investimento e aposta na desenvolvimento de produtos. Mas espera-se um crescimento de cerca de 100%. A empresa espera facturar 30 milhões de Euros em 2007.JT – Quais são as forças condutoras de sua cultura de inovação?AC – A liberdade e flexibilidade.JT – Nestes 6 anos de vida, quais foram os momentos mais marcantes?AC – O lançamento do Undercover, o primeiro jogo móvel baseado em localização com uma interface visual em 2003. O Undercover 2, a sua sequela, foi NOKIA Application of the Week durante duas semanas. O projecto Vodafone Cube que foi considerado pela Business Week um dos três mais importantes projectos de design na Europa em 2004.O projecto Adidas Eyeball que percorreu algumas das principais cidades europeias antes do Campeonato do Mundo de Futebol.A criação do Miradouro Virtual, tema de artigos na Wired, Globo e El País, entre outros. Mais recentemente, o lançamento do jogo Cristiano Ronaldo Underworld Football que foi acompanhado pelo Herald Tribune, CNN, CBS, Fox, Eurosport e muitos outros media.Finalmente, refira-se o programa da CNBC Europe sobre a YDreams no início de 2006 celebrando-a como uma das empresas mais inovadoras da Europa.JT – Quais os desafios que a YDreams se coloca para o futuro?AC – A YDreams tem hoje produtos. O desafio a curto prazo é vendê-los globalmente e atingir as metas de facturação que constavam do seu plano de negócio. Esperamos ser cotados em bolsa em 2009 ou 2010.