Início Notícias Retalho

A solidez dos pilares Inditex

No passado dia 18 de julho, Pablo Isla, presidente do grupo Inditex, destacou a estratégia de crescimento sustentável como fator-chave para o futuro da maior retalhista de vestuário do mundo, atualmente focada na economia circular, no capital humano e na proteção do meio ambiente.

O corpo de acionistas do grupo Inditex, numa reunião geral na sede em Arteixo, aprovou os resultados para o ano de 2016, em que a empresa excedeu as 7.200 lojas em 93 países e 41 mercados online. As vendas do grupo somaram 23.311 milhões de euros, com crescimento em todas as áreas geográficas em que opera, e o lucro rondou os 3.157 milhões de euros. Os resultados permitiram pagar aos acionistas 0,68 euros por ação, o que representa um crescimento de 13,3% em relação ao ano anterior e de 89% nos últimos cinco anos.

Em declarações perante o corpo de acionistas, Pablo Isla destacou o «crescimento forte e sustentável» da Inditex, que definiu como uma empresa «centrada nas pessoas, no talento criativo e num modelo integrado de lojas físicas e online».

A este respeito, Isla sublinhou ainda a «estratégia de crescimento sustentável» do grupo Inditex em todas as fases da cadeia de valor e a sua posição como «gerador de valor social e ambiental».

Crescimento sustentável

O compromisso com a sustentabilidade em toda a cadeia de valor foi também reforçado em 2016 com a implementação da iniciativa “Close the Loop” e com o lançamento das coleções sustentáveis “Join Life” da Zara e “We are the Change” da Oysho, aposta que deverá ser alargada a outras marcas do grupo já em 2018.

No primeiro ano, a iniciativa “Close the Loop”, que define o compromisso do grupo com a proteção do meio ambiente e a consciencialização dos consumidores, permitiu a recolha de mais de 7.100 toneladas de vestuário, calçado e acessórios através de contentores colocados nas lojas, escritórios e centros logísticos da empresa.

Estas ações são realizadas em colaboração com organizações como a Caritas, Cruz Vermelha, Oxfam e China Enviromental Protection Foundation em 534 lojas e oito países (Espanha, Portugal, Reino Unido, Irlanda, Holanda, Dinamarca, China e Suécia).

A empresa pretende aumentar o número de pontos de recolha e países envolvidos.

Em termos de sustentabilidade, o presidente do grupo Inditex também apontou a eco-eficiência e revelou que «um total de 4.519 lojas, mais de 71%, já cumpre estes critérios, permitindo uma economia média de 40% no consumo água e 20% no consumo de energia».

Foco nas pessoas

No final do ano, a Inditex tinha 162.450 funcionários em todo o mundo, representando 99 nacionalidades.

Um modelo assente no «talento criativo, autoexigência, capacidade de trabalho em equipa e uma forte orientação para o cliente», explicou Pablo Isla, que destacou que «a diversidade, igualdade de oportunidades e o desenvolvimento profissional» definem a relação da Inditex com os seus colaboradores.

No ano passado, o grupo Inditex criou 9.596 postos de trabalho, 2.480 dos quais em Espanha. Nos últimos cinco anos, a Inditex gerou cerca de 53.000 empregos em todo o mundo.

Já como parte da expansão internacional, a Zara vai arrancar as vendas online na Índia em outubro. O grupo tem também agendadas para agosto as aberturas das primeiras lojas Zara, Pull & Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho e Zara Home na Bielorrússia.