Início Notícias Moda

A sustentável leveza da Uila

Nas origens está uma história de amor passada em África, no leme estão Marina e Rita Subtil, mãe e filha, na base estão preocupações éticas e ecológicas e, para oferecer, há coleções 100% “made in Portugal”. A Uila é a nova marca de pronto-a-vestir feminino que propõe uma solução à moda rápida e um modelo de negócio direto ao consumidor.

A missão é clara: «fazer com que as clientes se sintam únicas, respeitando os outros e o planeta», para isso «a Uila cria coleções de edição limitada de acordo com princípios sustentáveis e aposta numa qualidade superior que se reflete em cada peça de roupa que produz», explica Rita Subtil ao Portugal Têxtil.

Orgulhosamente “made in Portugal”, todas as peças da marca que se posiciona no segmento de luxo acessível são confecionadas em pequenas empresas no Norte do país. «Trabalhar com empresas portuguesas permite-nos não só garantir a qualidade dos nossos artigos, mas também atingir o nosso compromisso de sustentabilidade social», afirma a cofundadora da Uila, ressalvando que, para propor uma solução à moda rápida e a todos os problemas que daí advêm, a marca aposta em coleções de edição limitada e segue o lema “less is better”. «Valorizamos a qualidade em detrimento da quantidade e promovemos valores e preocupações de sustentabilidade ambiental e social. Esta preocupação está presente em vários aspetos: desde a seleção das matérias-primas e escolha dos parceiros e fornecedores até à política de responsabilidade social associada aos colaboradores», acrescenta. O liocel é uma das fibras privilegiadas na coleção, não são utilizados materiais de origem animal e é evitado o desperdício têxtil.

A primeira coleção da Uila, dedicada à primavera-verão 2017, está dividida em três pequenas linhas, cada uma delas com um número de peças limitado. As propostas para a estação são vendidas exclusivamente no website da marca, que desde o arranque quis apostar num modelo de negócio direto ao consumidor, «livre de intermediários e das margens associadas», revela Rita Subtil.

Embora com estilos diferentes, todas as linhas da Uila se inspiram em África, seja através das cores, dos estampados ou da simbologia dos bordados. «A Uila nasce de uma história de amor que começou em 1978, em África, quando os meus pais se conheceram – na verdade, a marca é fruto do amor da minha família», confessa a cofundadora, que adianta ainda que o próprio nome, “Uila”, é inspirado na província da Huíla, em Angola, onde a sua mãe nasceu e cresceu. A Galinha d’Angola encontra-se presente sobre forma de bordado ou estampado em diversas peças, representando «não só o amor pelas raízes mas também o respeito pelos animais».