Início Arquivo

A união faz a força

Todos têm pelo menos um componente têxtilcom propriedades especiais. Para a empresa de tecelagem de seda Reutlingen esta exigência não traz qualquer problema. A empresa com tradição no tratamento de matérias-primas de tecidos para vestuário como o crepe ou a sedageorgette desenvolveu-se nos últimos cinco anos como um importante fornecedor europeu de filamentos para aplicações técnicas. «Contudo, os resultados da empresa pertencente ao grupo Daun não eram satisfatórios, e revelou-se incapaz de responder a desejos específicos dos clientes, explica o director-executivo Berthold Galonska. A situação era muito similar à de uma outra empresa do grupo, a Webatex, especializada em fibras cortadas com maior actividade nos têxteis-lar, mas também com alguma actividade em aplicações técnicas. Para unir os esforços de ambas as empresas e rentabilizar as sinergias da melhor forma possível, os seus responsáveis decidiram no início deste ano fundir as duas empresas numa outra baptizada de SR Webatex. «Não foi uma fusão que surgiu de uma necessidade eminente, mas sim uma reacção às oportunidades que podem surgir no mercado. De dois especialistas criamos um parceiro competente para os clientes», sublinha Galonska, que juntamente com o anterior director da Webatex, Frank Amm, conduz o destino da nova empresa. A SR Webatex é uma subsidiária da fiação/tecelagem de algodão Bayreuth, cuja maioria é detida pelo grupo Daun. A fusão, apesar de pacífica, teve consequências para alguns dos envolvidos. Na Reutlingen foram eliminados 25 postos de trabalho, incluindo alguns resultantes da dissolução da administração de então. Na Webatex houve uma redução de 30 postos de trabalho. A nova empresa emprega actualmente 153 trabalhadores. As unidades de produção foram mantidas nas instalações existentes. «A SR Webatex, tal como ambas as empresas originais, produz exclusivamente na Alemanha e essa situação deverá manter-se», afirma Galonska. Para o corrente ano fiscal, as previsõesapontam para um volume de negócios de 26 milhões de euros correspondentes a cerca de 16 milhões de metros. «Com esta fusão voltamos a contar com um equilíbrio nos resultados», sublinha Galonska. A quota de exportações situa-se em 60 por cento. Como termo de comparação temos os resultados da Reutlingen que no último ano, com 12 milhões de metros, registou um volume de negócios de 14,7 milhões de euros. A quota de tecidos técnicos na SR Webatex situa-se nos 70 por cento. O objectivo é tornar-se o mais importante produtor de tecidos técnicos na Europa. A SR Webatex considera-se apenas uma tecelagem normal. «Somos prestadores de serviços que oferecem soluções». Para cumprir este objectivo, sempre que necessário, analisa-se toda a cadeia têxtil. «Os nossos clientes não têm de se preocupar com nada, apenas recebem o produto final», sustenta. Entre os clientes estão empresas do sector automóvel, arquitectos, produtores de vestuário profissional assim como o líder mundial de vestuário para esgrima e o especialista em membranas W. L. Gore & Associates. «Temos um portfólio muito alargado, não sendo por isso muito afectados pelas variações do mercado», acrescenta. Um novo produto foi introduzido na SR Webatex aquando do processo de reorganização: os acabamentos militares. «Não estava planeado, mas não quisemos perder esta oportunidade». Contrariamente às primeiras expectativas o segmento acabou por se desenvolver positivamente. Entre os clientes deste segmento estão os exércitos norueguês e francês. A moda e os têxteis-lar, no seu sentido mais alargado, são também temas do interesse da empresa. Para além de forros, a empresa oferece igualmente tecidos para blusas, calças, sais e casacos. «Contudo, fornecemos quase só marcas de segmento superior». Na linha Home & Office existem ainda tecidos que protegem do ruído e do sol, capas de livros e mesmo tecidos para as caixas de presentes da Tiffany.