Início Notícias Tecnologia

Adidas acelera automação

A gigante desportiva Adidas e a especialista em engenharia Siemens, que partilham a mesma nacionalidade germânica, decidiram unir esforços para melhorar a produção de vestuário e calçado desportivo customizado e acelerar o ciclo do design ao produto acabado com a ajuda da automação.

De acordo com os termos da parceria anunciada na semana passada, a Siemens usará o seu know-how em automação para permitir que todo o processo de produção da Adidas seja otimizado. «A produção de artigos desportivos exige flexibilidade na produção e rápida integração de novas tecnologias», reconhece a Siemens em comunicado.

O gigante tecnológico, sediada em Munique, está a acelerar o crescimento da sua experiência digital através da aquisição de um conjunto de empresas de software na esperança de liderar o “fenómeno” das fábricas inteligentes, nas quais as máquinas podem sinalizar as próprias necessidades de reparação e recolher dados de produção para melhorar processos sem a intervenção humana.

A Siemens adiantou que com esta parceria iria ser possível apresentar a correspondente digital da Adidas Speedfactory que, segundo a especialista em engenharia, ajudará a reduzir os lead times, conferindo maior flexibilidade e mais qualidade e eficiência aos processos produtivos.

As chamadas “speed factories” da Adidas estão a ajudar a empresa alemã a substituir a mão-de-obra barata na Ásia pela produção automatizada nos seus mercados domésticos – contando já com uma na Alemanha e estando a construir a segunda nos EUA, que deverá entrar em atividade até ao final do corrente ano.

A Adidas escolheu Atlanta para a Speedfactory dos EUA e sublinhou que uma «gémea digital» vai permitir que todo o processo de produção seja simulado, testado e otimizado. «Tudo o que fazemos está focado nos nossos consumidores», afirma Gerd Manz, vice-presidente de inovação tecnológica da Adidas, em declarações ao portal Just-style. «Eles exigem o mais alto nível de individualidade e qualidade. Com a Speedfactory podemos repensar completamente os processos convencionais e responder a estas expectativas elevadas. Digitalizando a cadeia de valor podemos implementar mais rapidamente novas inovações tecnológicas, tornar mais eficiente e transparente o uso dos recursos disponíveis e assim responder de forma mais flexível às necessidades individuais dos nossos consumidores», explica.

Klaus Helmrich, do conselho de administração da Siemens, considera que as “speed factories” são uma ilustração perfeita do rumo que a produção está a tomar. «A tendência social para uma maior personalização, juntamente com novas tecnologias capazes de cumprir essas expectativas, vai mudar permanentemente muitos processos de produção», destacou.

No início de abril, a Adidas revelou também a parceria com a start-up de Silicon Valley Carbon para produzir sapatilhas com uma entressola impressa em 3D que poderão ser disponibilizadas no mercado de massas, tendo-se comprometido a criar mais de 100 mil pares até ao final de 2018.