Início Notícias Marcas

Adidas e Stella McCartney abraçam moda circular

A gigante do sportswear, num lançamento assinado pela designer britânica, revelou duas novas peças de vestuário, uma camisola com capuz e um vestido, sustentáveis. O objetivo é que o sportswear evolua para uma nova realidade, onde os produtos podem ser totalmente reciclados.

A Adidas e Stella McCartney deram mais um passo para tornar a indústria da moda mais sustentável, com o lançamento de duas peças de vestuário. A primeira peça – uma camisola com capuz 100% reciclável – foi criada a partir de desperdícios de vestuário, através de um processo apelidado de NuCyclTM, que «essencialmente, transforma têxteis pós-consumo em materiais novos, de alta qualidade, para a criação de novas peças», explica, à Fast Company, Stacy Flynn, cofundadora e CEO da Evrnu, a empresa que desenvolveu a tecnologia. O objetivo é combater o problema crescente do desperdício na indústria da moda. Estima-se que, num ano, são deitados fora, mundialmente, 92 milhões de toneladas de têxteis. Em cerca de uma década, o número poderá aumentar em 60%. «O nosso objetivo é converter esse lixo em novas fibras, para que possamos eliminar o conceito de desperdício na cadeia de aprovisionamento», afirma Stacy Flynn.

Reciclar algodão não é algo novo. A Madewell, por exemplo, recolhe jeans que são depois doados à Habitat for Humanity, ou a outra organização, para serem usados no isolamento de habitações. Porém, transformar têxteis pós-consumo em novos fios, fortes o suficiente para serem usados para novas peças de vestuário é um desafio maior.

A reciclagem mecânica, ou seja, o corte de têxteis pós-consumo em partes mais pequenas, enfraquece-os. O processo da Evrnu é químico. «Estamos a desfazer estes materiais até à forma do polímero e a reconstruí-los», explica Stacy Flynn. O vestuário pós-consumo é transformado numa polpa, passa para a forma líquida e depois é colocado numa espécie de extrusora, semelhante a uma impressora 3D, para formar o novo fio. 60% do Infinite Hoodie é criado a partir da tecnologia NuCyclTM e 40% é feito a partir de algodão orgânico, que pode ser reutilizado repetidamente.

A segunda peça vem na forma de um vestido, que conta com MicrosilkTM – um material que é feito a partir de ingredientes como água, açúcar e fermento – e um fio que mistura fibras celulósicas. O Biofabric Tennis Dress é feito em parceria com a Bolt Threads, uma empresa especialista em matérias-primas e fibras sustentáveis. O vestido é totalmente biodegradável no fim de vida.

Pôr fim ao conceito de lixo

James Carnes, vice-presidente de criação estratégica da Adidas, considera que a aposta em peças feitas a partir de desperdícios de plástico é a única opção para as marcas de sportswear. «O próximo passo é pôr fim ao conceito de lixo como um todo. Com foco em três áreas, vamos explorar novas formas de criar produtos que ou possam ser totalmente recicláveis ou biodegradáveis», revela. James Carnes admite que a Adidas «não tem todas as respostas e sabemos que não o podemos fazer sozinhos. Ao colaborarmos com parceiros com a mesma visão, como fizemos com a Evrnu e a Bolt Threads, podemos combinar o conhecimento da Adidas na indústria do sportswear com a visão de especialistas para a criação de um mundo livre de lixo». Por sua vez, Stella McCartney acrescenta que a moda é uma das indústrias que mais prejudica o meio ambiente. A designer britânica defende que está na altura de se investigar e descobrir respostas e alternativas ao tóxico problema do lixo, que atualmente polui a indústria da moda.