Início Arquivo

Agarrados ao telemóvel

Os britânicos gastam mais tempo a fazer compras pela Internet e estão a usar mais os smartphones e os tablets para aceder à Internet do que qualquer outra das grandes economias mundiais, de acordo com a pesquisa da entidade reguladora dos media Ofcom. Estão também obcecados com gadgets e veem mais televisão on-line, indica o estudo. A paixão dos súbitos de Sua Magestade pelos dispositivos mais recentes levou o Reino Unido a ultrapassar o Japão em termos de utilização da Internet móvel, segundo a Ofcom, que compara dados em 17 países, incluindo os EUA, China, Índia, Rússia, Brasil, Irlanda, Suécia, França e Alemanha. Os consumidores britânicos também estão a acelerar nas compras pela Internet, gastando em média 1.083 libras (1.334 euros) por ano, quase 250 libras mais por pessoa do que os australianos, que estão em segundo lugar. A Ofcom sugere que a maior incidência de compras pela Internet se deve à grande utilização do cartão de crédito, um hábito das compras por catálogo, e à chegada precoce de gigantes do retalho pela Internet, como a Amazon e o eBay, ao Reino Unido. Os britânicos estão entre os mais propensos a realizar compras pela Internet a partir dos seus telemóveis, com mais de 23% a ter visitado um website de retalho – o valor mais elevado na Europa. A Alemanha ficou em segundo lugar, com 22,6%. Os utilizadores britânicos de Internet gastam em média 728 minutos (mais de 12 horas) por semana on-line, embora este número revele uma pequena quebra em comparação com os 746 minutos registados no último relatório. Os britânicos estão ainda longe dos australianos, que gastam em média 992 minutos por semana on-line, um grande salto em termos anuais em comparação com a média de 901 minutos registada há um ano atrás, de acordo com a Ofcom. O smartphone tornou-se agora quase um must-have no Reino Unido, com quase 60% das pessoas a afirmar ter um, atrás apenas da Alemanha, um aumento dos 46% do relatório do ano passado. Os proprietários de tablets como o iPad da Apple atingiram os 19%, colocando o Reino Unido no quinto lugar em termos penetração e deverá continuar a crescer depois da explosão da procura no Natal. A faixa etária dos britânicos entre os 18 e os 24 anos é a principal utilizadora das redes sociais móveis, com 62% a aceder ao seu perfil a partir de smartphones e tablets (40% dos quais enquanto em trânsito), uma proporção mais elevada do que qualquer outro dos países analisados no relatório. Uma obsessão com o Facebook, o Twitter, o YouTube e a utilização de serviços de música on-line fez com que os consumidores britânicos tenham feito um recorde de download de 424 megabytes de dados por mês nos smartphones e tablets. O número é quase 60% mais do que há um ano.