Início Arquivo

Agenda de Doha com novo fim possível

De acordo com o divulgado pelo Diário Digital, o presidente da OMC, Supachai Panitchpakdi, manifestou-se confiante face à conclusão dos acordos sobre os subsídios à exportação de produtos agrícolas e sobre as taxas à importação. O presidente da OMC definiu o mês de Julho como a data final para a conclusão destes acordos, afirmando que a organização está à beira de chegar a consensos históricos em áreas fundamentais para a liberalização do comércio.

A última tentativa de estabelecimento de um consenso à volta destes temas foi feita em Cancun, no México, no ano passado, tendo no entanto falhado, essencialmente devido à oposição de países europeus relativamente ao sector agrícola (vernotícia no PT). No entanto, Pascal Lamy, reafirmou recentemente que a União Europeia está preparada para ceder, caso se consiga o acordo de todos os países, pobres e ricos.

De acordo com os responsáveis europeus do comércio, os países aparentam estar preparados para chegar à estrutura de um acordo em Julho, que servirá de base para as negociações finais sobre a agricultura, bens industriais e outras questões, negociações que terão lugar após as eleições norte-americanas agendadas para Novembro.

A UE referiu, pela primeira vez, que está disposta a eliminar os milhares de milhões de euros que gasta todos os anos em subsídios de exportação de artigos agrícolas se os EUA, Canadá, Austrália e outras potências agrícolas concordarem em novas regras para os seus programas agrícolas.

Os membros da OMC lançaram a actual ronda de negociações, a Agenda de Desenvolvimento de Doha, em Novembro de 2001 com o objectivo de encerrar o processo até ao dia 1 de Janeiro de 2005. De acordo com o actual curso de acontecimentos, está previsto o agendamento de um novo prazo durante o próximo mês de Julho.