Início Destaques

Alec Group dá cartas na ITV

Há um novo grupo na indústria têxtil e vestuário. Chama-se Alec Group, foi criado no final de 2021 e combina as valências das empresas de confeção Alec, GBTX e Gabritex com a tinturaria e acabamentos Iris.

Ricardo Miranda

Foi no término de 2021 que foi constituído o Alec Group. «A Alec adquiriu a Gabritex e a GBTX e constituiu-se o grupo no final do ano passado. Temos também uma participação na tinturaria Iris, em parceria com a especialista em malhas NGS», revela o administrador Ricardo Miranda. «Houve aqui uma questão de sucessão nas empresas que adquirimos, talvez a pandemia tenha acelerado um bocadinho mais o processo, mas possivelmente no longo prazo já iria acontecer», explica ao Portugal Têxtil.

Com três unidades de confeção e um efetivo com mais de 330 trabalhadores, o Alec Group, passou a ser um «grupo de confecionadores bastante flexíveis» que trabalha malhas e tecidos nos vários segmentos, desde o recém-nascido até ao adulto, incluindo o vestuário desportivo.

GBTX

«É raro dizermos um não a um cliente. Procuramos sempre ir de encontro às suas necessidades, nem que isso implique investir em nova maquinaria ou em novos processos. Damos resposta a um enorme segmento de mercado e adaptamo-nos para satisfazer rapidamente os nossos clientes, encurtando-lhes timings, procurando soluções para que as marcas que vendem maioritariamente online, são o nosso principal grupo de clientes, consigam entregas abaixo dos timings standard», salienta o empresário.

Forte capacidade produtiva

Posicionado num segmento medio-alto, onde constam nomes de reconhecidas marcas como Carolina Herrera, Purificación García, Versace, Karl Lagerfeld ou Balenciaga, o Alec Group tem uma «capacidade produtiva de 180 mil peças por mês e 10 toneladas por dia em acabamentos de malhas», aponta Ricardo Miranda.

Íris

São também estes clientes que procuram por uma produção europeia certificada, ética e sustentável. Neste sentido, o grupo possui já as certificações GOTS, GRS e OCS, Oeko-Tex, Sedex SMETA e ISO 9001.

«Tentamos, em todas as nossas unidades, estar em conformidade com as novas exigências em termos de sustentabilidade. Temos painéis solares que nos permitiriam ter quase 100% do nosso consumo energético se isso fosse legalmente possível. Escolhemos um fornecedor que só trabalha com energias renováveis e procuramos completar a circularidade do têxtil fazendo reciclagem total, inclusive dos desperdícios têxteis, que são triturados para pasta de enchimento ou para panos industriais», adianta o administrador do Alec Group.

Com os mercados alemão e inglês na linha da frente, é nos EUA que Ricardo Miranda prevê crescer por «uma questão de escala» e porque «já temos alguns clientes lá e, de facto, conseguimos um volume bastante interessante», garante.

Para 2020, o objetivo do administrador do Alec Group «é que, cada uma das confeções, consiga atingir 10 milhões de euros, portanto em confeção 30 milhões de euros, a tinturaria poderá conseguir que o grupo chegue aos 35-40 milhões de euros», antecipa.