Início Arquivo

Algodão sobe pela segunda semana consecutiva

Os preços do algodão subiram novamente esta semana nos Estados Unidos, China e Paquistão. Já que o consumo de algodão está agora a abrandar, espera-se que os preços não subam mais a longo prazo. Em Nova Iorque, os futuros de algodão aumentaram na semana passada com Dezembro a subir 2,18 cêntimos por quilo na sexta-feira à noite, em comparação com o mesmo nível uma semana antes. Isto significa que atingiu numa semana um aumento de 5,09%, um nível que se atinge normalmente em duas semanas. O corrente aumento nos preços deve-se às chuvas que caem continuamente nas regiões de produção de algodão. Os profissionais de algodão americanos afirmam que o actual clima vai prejudicar a qualidade das colheitas. Mais chuva… Um novo tornado chamado Kenna deve trazer mais chuva esta semana para as regiões do Texas e Delta. Os comerciantes de algodão adiantaram que apesar da leve recuperação nas passadas duas semanas, os preços do algodão não vão continuar a subir nos próximos dias devido a uma quebra na procura. O consumo americano de algodão apresentou novamente um nível baixo. De acordo com o Instituto de Estatística dos EUA, a utilização diária foi de apenas 27,539 fardos em Setembro. Ainda mais preocupante é o facto das acções de algodão detidas pelas fábricas atingiram 500,173 fardos americanos em Setembro, em comparação com os 364.000 conseguidos no ano passado. Consumo está mais baixo do que o esperado A colheita americana será possivelmente mais baixa do que o esperado devido às más condições climatéricas. Já a produção chinesa prevê-se que seja maior do que anteriormente se anunciou, segundo adiantou o Cotton Look na passada semana. Ainda assim, a produção chinesa irá descer 8,76% em 2002-2003, enquanto o consumo deverá aumentar 3%, segundo a mesma fonte. De acordo com o ICAC, a produção global de algodão deveria descer 10% esta estação para 19,3 milhões de toneladas, enquanto o consumo iria aumentar 2,5% para 20,7 milhões de toneladas. Como resultado da previsão de uma maior produção e de um aumento no consumo, não se previa o aumento dos preços. Mas neste momento o preço internacional médio do algodão, Cotlook A Index, deve aumentar 11 cêntimos, atingindo 53 cêntimos por quilo em 2002-2003, adiantam membros do International Cotton Advisory Committee numa reunião realizada na passada semana no Cairo. Algodão subiu 1,02% Apesar de ter subido somente 1,02% na passada semana, o Cotlook A Index na sexta-feira ultrapassou o nível dos 50 cêntimos pela segunda vez em apenas algumas semanas. Na China, o Standard Grade 323 na segunda-feira atingiu 10,701 yuan por tonelada, ou 58,67 cêntimos por quilo, uma subida de 4,3% em comparação com o seu nível de há 10 dias atrás. No Paquistão, os preços subiram ligeiramente depois dos das fiações começarem massivamente a comprar algodão com linho. Para além dos não usuais e inconfirmados relatórios de possíveis doenças, vários empresas foram forçados a parar a produção em Sindh pela falta de algodão cru por parte dos agricultores. A colheita de algodão Paquistanes pode ser mais baixa do que o esperado, adiantaram as fiações. Os preços regulares rondam agora os 1,975 e os 2,150 rupias, dependendo da qualidade e dos dias de transacção. Na Turquia, os preços começaram a cair depois dos cultivadores terem acelerado as suas entregas. A repentina chegada ao novo algodão reflecte actualmente um baixo nível na qualidade como resultado das chuvas que se espalharam pela região de Aegean. De acordo com o Departamento de Comércio Americano até agora previa-se que a produção turca aumentasse de 865 mil toneladas para 890 mil toneladas.