Início Notícias Têxtil

Altri instala biofábrica de fibras na Galiza

O investimento, de cerca de 750 milhões, permitirá à Altri produzir anualmente cerca de 200 mil toneladas de fibras têxteis de base celulósica, arrancando inicialmente com a produção de aproximadamente 60 mil toneladas de liocel.

[©Unplash/Casey Horner]

«A Altri sinaliza que a localização ideal para a biofábrica de produção de fibras naturais seria no município de Palas de Rei, na Comarca de A Ulloa, província de Lugo, na Região Autónoma da Galiza. Um marco importante no desenvolvimento do estudo do plano estratégico do projeto, que poderia atingir cerca de 750 milhões de euros de investimento», dá nota a informação divulgada pela Altri.

De acordo com a empresa, a fábrica de fibras sustentáveis para a indústria têxtil no noroeste da Península Ibérica, a construir de raiz, terá capacidade de produção de 200 mil toneladas por ano.

A Altri considera que a localização no centro geográfico da Galiza «poderá originar um novo polo de dinamização económica» e que «obedeceu a estritos critérios técnicos, nomeadamente ambientais, hídricos, orográficos, proximidade da floresta e acesso a vias de comunicação».

A fábrica deverá ocupar um espaço superior a 200 hectares, referindo a empresa que já garantiu acesso aos terrenos necessários para a construção da infraestrutura industrial, depois de um processo de avaliação em 46 localizações na Galiza.

A Altri quer que a fábrica venha a ter capacidade de produzir anualmente cerca de 200 mil toneladas de fibras têxteis de base celulósica, arrancando inicialmente com a produção de aproximadamente 60 mil toneladas de liocel, o que, segundo a empresa, se enquadra «no programa “Next Generation EU” e no Plano Nacional de Recuperação e Resiliência Espanhol, no contexto do Proyecto de Gestión Sostenible de los Bosques Gallegos».

[©Altri]
A empresa anunciou este projeto em outubro na sequência da assinatura de um Memorando de Entendimento com a Sociedade para o Desenvolvimento de Proxectos Estratéxicos de Galicia (Impulsa) «para estudar, em exclusivo e no contexto de uma parceria, a construção de uma biounidade industrial de raiz, equipada com as melhores tecnologias disponíveis a nível mundial, na região autónoma da Galiza».

A Impulsa é um consórcio público-privado de direito espanhol, formado por entidades internacionais com sede na Galiza, denominado Sociedade para o Desenvolvimento de Proxectos Estratéxicos de Galicia S.L, que tem como principal objetivo desenvolver projetos estratégicos da Galiza. Os acionistas da Impulsa são a Xunta (40%), a Abanca (38%), a Reganosa (12%) e a Sogama (10%).

Os lucros da Altri quintuplicaram em 2021, atingindo 123,7 milhões de euros, face aos 24,7 milhões de euros obtidos em 2020, tendo a empresa referido, aquando da divulgação dos resultados, que «o desempenho financeiro foi fortemente impactado pelo recorde de produção de fibras celulósicas, mas também pelo aumento das vendas, num período marcado pela alta dos preços da pasta nos mercados internacionais». Ainda em 2021, as receitas totais do grupo Altri atingiram os 793,4 milhões de euros em 2021, um crescimento de 38% em comparação com 2020.