Início Notícias Marcas

Amadeo levado pela mão da âme moi

A marca portuguesa de acessórios de luxo âme moi, que tem vindo a desenvolver uma coleção cápsula de bolsas inspirada nas obras do pintor modernista amarantino Amadeo de Souza-Cardoso e no seu amor por Lucie Meynardi Pecetto, apresenta agora a “Chiado Pour Lucie”, a primeira bolsa da edição.

«Se Amadeo fosse vivo, passearia a cavalo com a Lucie no Chiado e oferecer-lhe-ia uma âme moi!», afirma Alberto Gomes, fundador da âme moi, em comunicado.

A coleção cápsula bebe inspiração em diferentes obras do vasto espólio do artista, casando arte e moda, e em Lucie Meynardi Pecetto, a jovem de ascendência italiana por quem Amadeo de Souza-Cardoso se apaixonou em Paris e com quem mais tarde casou.

No seguimento da exposição do artista português no Grand Palais, em Paris, que decorreu entre abril e julho deste ano, a âme moi convidou a sobrinha trineta do artista, Isabel Rebello Andrade, para a criação de uma minicolecção, a “Pour Lucie”.

«Com o projeto “Pour Lucie”, a âme moi vem homenagear Amadeo de Souza-Cardoso de uma forma original – através da moda –, mostrando-nos como é versátil e atual a obra deste grande pintor português», explica Isabel Rebello de Andrade.

O projeto engloba o lançamento de seis bolsas, de edição limitada a 30 modelos de cada para que, em 2018, ano em que se comemora o centenário da morte do artista, a coleção esteja completa e possa ser apresentada na íntegra.

A primeira bolsa, batizada “Chiado Pour Lucie”, reformula o modelo “Chiado” da coleção outono-inverno 2016/2017 da âme moi e dialoga com a obra do artista “Clown, Cavalo, Salamandra”.

Todas as cores utilizadas na bolsa estão interligadas com a obra de 1911 e a pala e a crina, em sombras azuis, foram confecionadas de forma a representar o padrão e o movimento do cavalo na pintura.

A marca de acessórios de luxo fundada por Alberto Gomes e Margarida Jácome e trabalhada pela designer Carlota Costa está, desde o seu nascimento, voltada para o mercado internacional e já completou coordenados de mulheres como Maria Cavaco Silva, a Rainha Sofía de Espanha ou Athina Onassis.

O nome francês pretende reafirmar a vocação internacional do projeto e o seu significado tem como origem «a nossa forte ligação ao Cavalo Lusitano, um animal com alma e que muito representa para Portugal. E porque a mulher põe tudo dentro da carteira, até a alma, a âme moi dá importância a todos os pormenores e tem como pilares a arte, a tradição e a exclusividade», destacou Alberto Gomes ao Jornal Têxtil (julho 2015).

Com sede em Vila Nova de Famalicão, a marca trabalha para o mercado nacional e, desde 2016, tem vindo a expandir-se no mercado internacional, estando presente nos grandes armazéns londrinos Harrods e Selfridges, assim como em lojas multimarca na Europa, Ásia e África.

Entre cliques, também já é possível conhecer a primeira carta de amor que a âme moi escreveu por Amadeo de Souza-Cardoso a Lucie Meynardi Pecetto.