Início Notícias Têxtil

Amorim vende Gierlings Velpor

O Grupo Amorim cedeu a sua posição maioritária na Gierlings Velpor à Lantal Textiles AG. Depois de cinco anos de parceria na área dos tecidos para transportes com a empresa suíça, a Gierlings Velpor será agora controlada pela Lantal Textiles, com o Grupo Amorim a manter 16% do capital.

O negócio, segundo o comunicado enviado a 2 de dezembro, irá beneficiar todas as partes envolvidas. «A Lantal Textiles e a Amorim estão convictas que esta operação trará um valor acrescentado significativo à Gierlings Velpor e a todos os seus stakeholders, devido à perspetiva de forte crescimento esperada para a empresa», indica o Grupo Amorim. O grupo liderado pelo homem mais rico de Portugal irá, contudo, manter-se «como acionista, com um membro não executivo no conselho de administração, assegurando uma transição bem sucedida», destaca.

O comunicado acrescenta ainda que o negócio assume importância vital para o desenvolvimento da Gierlings Velpor, «no sentido de promover uma maior proximidade com as suas bases de clientes, reforçar a qualidade dos produtos e as suas capacidades de inovação, bem como melhorar a penetração no mercado das novas coleções».

A Gierlings Velpor, fundada em 1808, é especialista na produção de tecidos de veludo, contando com quatro departamentos: moda, decoração, têxteis técnicos e transportes públicos. Em 2015, a empresa, que conta com cerca de 120 trabalhadores, registou um crescimento de 6%, para um volume de negócios de 8 milhões de euros.

A empresa portuguesa tinha já uma parceria com a Lantal Textiles, que permitiu que a Gierlings Velpor produzisse «40% do veludo da Lantal para os mercados ferroviário, elétrico e de autocarros», explica o comunicado. Nesta área de negócio, iniciada em 2009, «também trabalhamos diretamente com alguns mercados, como por exemplo a Coreia do Sul, para o metro e comboio de alta velocidade», revelou Constantino Silva, CEO da Gierlings Velpor, ao Jornal Têxtil (ver Gierlings Velpor assenta negócios). «Vendemos ainda para a CP e para o metro de Lisboa e esperamos vender para o metro do Porto, quando chegar o tempo de substituírem os revestimentos dos assentos», referiu nas declarações ao Jornal Têxtil.

Quanto a este ano, em setembro o diretor de vendas Pedro Lima deu conta de um crescimento de 25% no período até à data em comparação com o ano anterior. «E já temos muita certeza de como é que vai ser o ano porque os meses principais são os primeiros nove», destacou.

A Lantal Textiles foi fundada em 1886 e, de acordo com a sua página na Internet, registou em 2015 vendas consolidadas de 96,7 milhões de francos suíços. Sediada em Langenthal, na Suíça, detém três unidades de produção na Suíça e uma na Carolina do Norte, nos EUA, e emprega, no total, 395 pessoas. A empresa assume-se como «líder no design, produção e distribuição de têxteis e serviços para a comunidade internacional de operadores de aviões, autocarros e comboios, assim como para jatos executivos e iates».