Início Destaques

Ana Sousa pronta para reabrir mais lojas

Depois de ter já reaberto 23 lojas, a MJJS está a preparar as lojas nos centros comerciais para acolher de novo as consumidoras. A partir de 1 de junho, as coleções de primavera-verão da Ana Sousa e da Temperatura estarão à disposição das clientes, com as devidas medidas de segurança, em mais 25 pontos de venda.

Rui Moreira e António Costa

Se os dados da epidemia e as previsões de desconfinamento do Governo se mantiverem, as lojas Ana Sousa em centros comerciais irão reabrir na próxima segunda-feira, 1 de junho, juntando-se, assim, às 23 lojas – entre lojas de rua e nos centros comerciais na Madeira e nos Açores – já reabertas durante o mês de maio.

«Estamos a ser muito cautelosos na abertura. Primeiro, porque o consumo reduziu drasticamente e não se vê assim tanta gente a querer comprar. Depois, só abrimos o ponto de venda quando temos a certeza que temos todas as condições de segurança garantidas», explica, ao Portugal Têxtil, Rute Sousa, CEO da MJJS, que faz a gestão da distribuição das marcas Ana Sousa e Temperatura.

Atualmente, estão em funcionamento as lojas de rua em Aveiro, Barcelos, Braga, Bragança, Castelo Branco, Chaves, Elvas, Espinho, Évora, Famalicão, Faro, Felgueiras, Guimarães, Leiria, Maia, Penafiel, Portimão, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Vila do Conde, Vila Real e Setúbal. No Porto, na Rua de Santa Catarina, o espaço foi mesmo visitado simbolicamente pelo presidente da câmara da cidade, Rui Moreira, e pelo primeiro-ministro, António Costa, no dia 8 de maio.

Segurança é preocupação n.º 1

A partir de 1 de junho, a marca reabrirá todos os restantes pontos de venda que gere diretamente, voltando a ter todas as suas 48 lojas abertas, depois de quase três meses encerrados. Entre estas contam-se ainda as duas lojas no Luxemburgo, abertas a 11 de maio.

Ana Sousa

«Os nossos consumidores não precisam de ter medo. Estamos a cumprir com tudo», garante a CEO. «Para além de cumprirmos com aquilo que é dito, ainda criamos medidas excecionais», acrescenta Rute Sousa, dando como exemplo a desinfeção dos produtos. «Compramos um produto específico que é aplicado em todas as lojas e mesmo nas compras online. Fazemos as pulverizações e a roupa pode novamente ser vestida, para experimentar, por outra cliente. A roupa, os acessórios, tudo é desinfetado. Não precisam de ter medo», assegura.

As máscaras são igualmente de uso obrigatório e, à entrada de cada loja, a marca disponibiliza gel para higienização das mãos. O atendimento, que «é muito personalizado a cada cliente», como refere Rute Sousa, está igualmente limitado a quatro clientes em simultâneo.

Coleções novas e ajustadas

Nas lojas, que foram remodeladas para o relançamento da marca Ana Sousa e para a introdução da marca Temperatura no ano passado, as consumidoras podem encontrar as coleções de primavera e de verão das duas marcas, que foram adaptadas para um look mais casual, apropriado à situação que se vive atualmente.

Temperatura

«No que foi possível, nos modelos não produzidos, reajustamos. Reduzimos o [vestuário] executivo e a nível de festa e canalizamos para uma linha mais casual, mais sportswear», refere.

O mesmo vai acontecer com a coleção outono-inverno que está atualmente a ser ultimada. «Tínhamos uma coleção de inverno já delineada e apresentada aos clientes e tivemos que a ajustar. Tivemos que reduzir também as linhas de festa e executiva e reforçámos o casual e o sportswear», conclui.