Início Notícias Marcas

André Saraiva transforma saco em tela

Depois da Louis Vuitton, Mango e Uniqlo, chega a vez da Longchamp assinar uma colaboração com o luso-descendente André Saraiva. O artista plástico foi convidado a reinterpretar o icónico modelo Le Pliage da marca francesa.

André Saraiva e Sophie Delafontaine [©Longchamp]

De ascendência portuguesa e a viver em Nova Iorque, André Saraiva ficou conhecido globalmente pela personagem Mr. A. Das ruas de Paris às grandes marcas de luxo mundiais, André Saraiva afirmou o grafitti e é agora um artista global para quem a arte é um bem de consumo.

Paralelamente, André Saraiva tem assinado inúmeras colaborações com marcas de moda consagradas, como por exemplo a Louis Vuitton, e agora com a Longchamp, revisitando o emblemático modelo Le Pliage.

[©Longchamp]
Esta parceria estava já predestinada. «Há alguns anos, um dos nossos primeiros showrooms em Paris era um espaço alugado muito perto da Place de la Concorde. Quando nos mudámos para lá, descobrimos que o André tinha estado antes de nós – porque no espaço, atrás de uma porta, estava desenhado o Mr. A. Pode-se dizer que foi o nosso primeiro encontro», revela a diretora criativa da Longchamp, Sophie Delafontaine.

André Saraiva, por sua vez, conhecia perfeitamente o Le Pliage da Longchamp, um modelo que aprecia pela sua «simplicidade e praticidade, que transcendeu o tempo e a moda» e, sem hesitar, aceitou o convite para ser o próximo artista a transformar o icástico saco dobrável numa tela de criatividade.

[©Longchamp]
Disponível em quatro formatos – todos de poliamida reciclada –, o artista criou três versões do Mr. A. e uma versão feminina, a Mrs. A, que além do piscar de olhos também envia um beijo. «As ilustrações são características típicas do André, cheias de energia, poesia e otimismo», descreve Sophie Delafontaine. «Todos sabemos que o Le Pliage é a tela favorita dos artistas, mas esta é a primeira vez que se torna numa personagem», salienta.

Com inspirações numa paleta pop, André Saraiva afirma estar numa fase «azul e rosa», acrescentando que gosta especialmente de trabalhar com a tonalidade rosa porque é a «única cor que combina com tudo». A coleção é ainda complementada com versões em preto e verde vibrante, tons que fazem parte do universo da Longchamp.