Início Notícias Vestuário

Anjos & Lourenço aposta na economia verde

A especialista em confeção investiu cerca de um milhão de euros para tornar a empresa mais sustentável. O valor está a ser aplicado em painéis fotovoltaicos, numa lavandaria ecológica, em máquinas de confeção com aproveitamento energético e na ampliação da empresa.

João Anjo

No mercado há 31 anos, a Anjos & Lourenço decidiu mudar a direção à empresa e dar-lhe um rumo mais sustentável. «A nossa preocupação, neste momento, são os orgânicos e os sustentáveis e, nesse sentido, encaminhamos os clientes basicamente para usarem e consumirem esses produtos. É a tendência, assim como corantes naturais», afirma o administrador João Anjo.

Já com os certificados GOTS, OCS, GRS e Oeko-Tex dentro de portas, a produtora de vestuário está a investir cerca de um milhão de euros na transformação da empresa com o objetivo de reduzir a pegada ambiental. «Estamos a fazer um investimento na área da energia renovável através da instalação de painéis fotovoltaicos e estamos a criar a nossa própria lavandaria», revela ao Portugal Têxtil.

A nova lavandaria irá permitir à Anjos & Lourenço ter mais controlo sobre a lavagem das peças, «reduzindo o consumo de água porque, por exemplo, só vaporiza para fazer a pré-lavagem. Desta forma também diminuímos o recurso às empresas parceiras e, por sua vez, reduzimos o número de veículos na estrada», aponta o administrador.

O investimento da empresa de Barcelos comtempla ainda a ampliação das instalações, aumentando de igual forma a capacidade produtiva, e a renovação no sector da confeção, onde «estamos também a recorrer a máquinas com aproveitamento energético», salienta João Anjo, que prevê também investir numa frota de carros elétricos brevemente.

França no topo da lista

Com o mercado francês no primeiro lugar do rol de clientes, a Anjos & Lourenço trabalha sobretudo para a Europa e para países como Itália, Espanha, Alemanha e Suécia.

Com duas frequências na feira Première Vision Paris, João Anjo valoriza a presença portuguesa nos certamente internacionais, classificando-os como extremamente importantes para a captação de novos clientes. «É uma grande ajuda para as empresas portuguesas haver este tipo de eventos presenciais. O toque, o cheiro, olharmo-nos nos olhos é diferente de fazermos feiras virtuais, às quais eu nunca aderi», explica o administrador da Anjos & Lourenço, que acaba de participar também no Modtissimo.

A produtora de vestuário prevê voltar a Paris no próximo ano. No entanto o João Anjo reitera que «não podemos ter mais olhos do que barriga, felizmente tem havido muita procura, temos sido muito solicitados, mas não queremos abraçar outros projetos sem dar continuidade e solidificar os atuais. Queremos introduzir novos clientes, novos mercados, mas de forma equilibrada, servindo de forma exemplar os nossos clientes e nunca deixar fugir a nossa bandeira, que são prazos de entrega e qualidade», garante.

Com um exercício fiscal que deverá encerrar este ano a rondar os 7,5 milhões de euros, a Anjos & Lourenço chegou já a faturar 11 milhões de euros em 2019. No entanto, «não é objetivo da empresa e nunca foi. Não estou preocupado com os números, o que tiver que ser, tem é que ser bom, não importa a quantidade, mas sim a qualidade», conclui o administrador.