Início Arquivo

Anti-Zara chega à Europa

A Fast Retailing, o maior retalhista de vestuário do Japão, com mais de 500 lojas, prepara-se para invadir a Europa. Segundo Tadashi Yanai, presidente da empresa, a Fast Retailing pretende abrir, a médio prazo, entre 150 a 200 lojas da sua cadeia Uniqlo no Reino Unido, referindo ser este um passo no sentido de cumprir o seu objectivo: tornar-se o maior retalhista de vestuário a nível mundial. Considerada por muitos como a Zara asiática, a Fast Retaling caracteriza-se por fornecer produtos de moda, de qualidade média, a preços reduzidos. A estratégia da Fast Retailing é a de fazer o sourcing da produção na China, apostando em prazos de entrega muito curtos e níveis de stocks reduzidos. O Jornal Têxtil soube, através de fontes da empresa, que inicialmente o sourcing dos produtos a disponibilizar nos mercados europeus continuaria a ser efectuado na China mas, logo que as vendas na Europa o justificassem, a Fast Retaling iria optar por produzir em alguns países europeus, sobretudo do Leste. Os responsáveis da empresa não colocaram de parte a hipótese de colocar alguma da produção em Portugal. A primeira loja da Uniqlo na Europa estará aberta em Outubro, em Londres, constituindo o primeiro passo para a concretização da abertura de um total de 50 lojas nessa área urbana. A Fast Retailing salienta que os seus planos prevêm que as lojas do Reino Unido apresentem resultados positivos no segundo ano de operações. A Fast Retailing facturou, em 2000, 468 milhões de contos. Os resultados líquidos da empresa foram de 70 milhões de contos, obtendo assim uma rentabilidade das vendas muito elevada, próxima dos 15,1%. A margem bruta situa-se nos 49,1%. O activo maneável da Fast Retailing era, em 31/12/2000 de 257 milhões de contos. Os resultados da Fast Retailing no primeiro semestre de 2001 foram muito positivos, corroborando a estratégia da empresa, sobretudo num contexto económico muito adverso, como é o caso do da economia japonesa. As vendas praticamente duplicaram face ao primeiro semestre do ano anterior, atingindo os 381 milhões de contos. Os principais concorrentes da Uniqlo no mercado japonês são a Ryohin Keikaku, a Takashimaya e a norte-americana Gap. do total de vendas da empresa, cerca de 61% são de vestuário casual unisexo, 17% são de vestuário feminino, 15% de acessórios e 5% de vestuário infantil. No fecho de hoje da Bolsa de Tóquio, a cotação das acções da empresa era de 21.460 iénes, valorizando a empresa em 2,1 mil milhões de contos. Conheça melhor a Uniqlo