Início Arquivo

Armada nacional em Munique

Desde hoje que 950 expositores internacionais estão em Munique para apresentarem as novidades que vão tecer o outono-inverno 2015-2016, com a feira alemã a dar o pontapé de saída da segunda edição do ano dos certames profissionais na Europa. Aberta até 4 de setembro, a Munich Fabric Start antecipa a visita de mais de 20 mil profissionais do sector, incluindo compradores, designers e gestores de produto de marcas de moda para homem e senhora. «Oferecemos a cerca de 950 expositores de 35 países uma plataforma ideal para a apresentação de um total de 1.500 coleções», afirma Wolfgang Klinder, diretor-geral da Munich Fabric Start. «Vemos a compilação deste portefólio seletivo como uma das nossas responsabilidades mais importantes, o que nos permite servir as exigências do mercado e os segmentos mais importantes da melhor forma possível», explica. Entre esta seleção dos “melhores entre os melhores” encontram-se 25 empresas portuguesas, 20 das quais apoiadas pela Associação Selectiva Moda. É o caso da Albano Morgado, que está pela primeira vez no certame da capital da Baviera com stand próprio, depois de várias participações através do seu agente local. «Pela importância que este salão tem vindo a ganhar ao longo do tempo, decidimos arriscar numa participação própria com o objetivo de aumentar o volume de negócios no mercado alemão», justifica o administrador Baltazar Lopes. Também a Vilartex não esconde que a Alemanha é cada vez mais importante na sua estratégia expansionista, «por isso faz todo o sentido a continuação e consolidação do projeto de internacionalização, com o objetivo de aproximar os mercados aos clientes», como aponta Carlos Coutinho, responsável do mercado externo. A presença nacional no salão de tecidos alemão fica ainda marcada pela inovação e ecletismo da oferta, que abrange desde malhas, rendas e denim, às flanelas e tecidos de lã e algodão, sempre com um toque de originalidade, como os tecidos duplos em lã com aplicações de membranas repelentes de água da Albano Morgado ou os jacquards e estampados digitais em veludo da Gierlings Velpor, pensados para «cimentar a posição da empresa nos mercados germânico e austríaco sobretudo com os tecidos tridimensionais», como indica o administrador João Teixeira Duarte. A Munich Fabric Start quer, de resto, reforçar a sua posição como fonte de inspiração para criativos, apresentando nesta edição as tendências que vão marcar a estação fria do próximo ano, quer com fóruns de amostras e cores, quer com os seminários de tendências promovidos pelo gabinete WGSN nos primeiros dois dias.