Início Arquivo

Arte e Moda

No mesmo local onde hÁ 75 anos eram queimados livros “anti-nazis” – em redor da Bebelplatz, a antiga Praça da Ópera – realizou-se a terceira edição da Semana de Moda de Berlim, que apostou na combinação perfeita entre cultura e moda. O desfile da marca Hugo Boss abriu o certame – que, à semelhança da Semana de Moda de Nova Iorque, tem o patrocínio da Mercedes Benz – com uma colecção onde o “conforto” ganhou relevo em indumentÁrias de tecidos leves e cores sóbrias, que garantem uma certa frescura à estação mais quente do ano. Mas nem só de Boss viveu esta semana de moda. No evento fizeram ainda questão de estar presentes nomes de peso como Vivienne Westwood, Wolfgang Joop, Zac Posen e Strenesse Blue, que têm vindo a dar credibilidade a um evento que suscitou muitas críticas aquando da sua primeira edição. Nova Iorque também precisou de décadas para se tornar a metrópole de moda que é actualmente e, no entanto, conseguiu ganhar uma importância crucial com o tempo», afirmou Klaus Wowereit, presidente da Câmara de Berlim. Mas entre as razões que sustentam o crescente sucesso da Berlim Fashion Week estÁ o facto deste certame apostar, como nenhum outro, em novos talentos. Para além de premiar os futuros grandes estilistas nacionais, esta semana de moda dÁ também oportunidade a insígnias relativamente desconhecidas de desfilar juntamente com grandes nomes da moda internacional», explicou Klaus Wowereit, acrescentando que nesta edição, alunos de três escolas de moda tiveram a oportunidade de expor os seus projectos no Palazzo Italia, na Avenida Unter den Linden 10, onde se localiza a Bebelplatz». Na mesma avenida, o Museu Guggenheim de Berlim expôs ainda colecções de jóias de vÁrios designers conhecidos e no prédio da Unter den Linden 40 a moda luxuosa e feminina de Sisi Wasabi foi alvo de uma exposição fotogrÁfica de Tom Lemke. Entre as tendências apresentadas fica a ideia, à semelhança das apresentações anteriores, de que o próximo Verão exige leveza, algum romantismo e sobretudo roupas prÁticas e cómodas. Para combinar com os saltos altíssimos – que serão outra grande aposta da próxima estação quente – estão os vestidos em diferentes cumprimentos, mas sempre justos. A grande inovação apresentada no certame veio pelas mãos da marca Scherer Gonzalez, que transformou sandÁlias em obras de arte. Isto porque dentro do salto de acrílico foram colocadas flores e arranjos que enfeitaram os tornozelos das modelos. Mais uma vez… a anorexia Como novidade, a Semana da Moda de Berlim aconteceu uma semana depois da decisão do governo alemão e quatro federações da indústria da moda assumirem o compromisso de combater a anorexia na moda. Com o lema "A Vida tem Peso", foi lançada uma campanha de consciencialização dirigida a costureiros e organizadores, à qual aderiram vÁrias associações do sector, que solicitaram a recusa de modelos cujo índice de massa corporal (IMC) fosse inferior a 18,5 – que é considerado o valor mínimo para uma pessoa saudÁvel. Pedimos a todos, dentro dos sectores do têxtil e da moda, para colaborar», enfatizou Andreas Deffner, porta-voz do Ministério. Desta forma, a Semana da Moda de Berlim não contou com modelos menores de 16 anos de idade e que tivessem um IMC que correspondesse ao manequim 34. A moda alemã seguiu assim uma tendência internacional não só de moda mas de saúde.