Início Arquivo

Artigos de algodão hispano-italianos conquistam Portugal

Portugal importou, em 2000, 678,3 milhões de euros de artigos de algodão, resultado dum acréscimo de 6,2% face ao ano anterior. Em termos de volume, o crescimento foi a uma taxa inferior, implicando que o preço médio de importação de artigos de algodão crescesse 2,3%, fixando-se em 2,65 euros/kg. Estes são os principais resultados da ficha de mercado elaborada pelo Observatório Têxtil do CENESTAP, publicada, como é habitual, esta sexta-feira no Portugaltêxtil. Os artigos de algodão em análise compreendem fibra (algodão em rama), fios e tecidos. A Espanha assume o papel de principal fornecedor do mercado nacional, tendo exportado para Portugal 84,1 milhões de euros, que representam 12,4% das importações totais portuguesas deste tipo de artigos. A Itália, apesar de ocupar a segunda posição, apresenta uma quota bastante idêntica à do parceiro ibérico, correspondendo a 11,5%. Todavia, verifica-se uma grande disparidade de preços entre os produtos provenientes destes dois mercados. Assim, embora os preços destes países sejam superiores ao preço médio de importação nacional de artigos de algodão, verifica-se que os artigos italianos têm um preço que corresponde a mais do dobro do preço dos produtos espanhóis, traduzindo-se, respectivamente, em 7,75 euros/kg e 3,31 euros/kg. No primeiro semestre de 2001, constata-se que a posição da Espanha e Itália se mantém bastante equitativa, realçando-se a crescente relevância da Turquia como fornecedor de algodão para Portugal, uma vez que durante este período conquistou a terceira posição, atingindo 7,4% de quota no mercado nacional.