Início Notícias Retalho

As leis do denim – Parte 1

Estas marcas exploram uma nova abordagem na apresentação do produto e ampliam a valência dos seus espaços comerciais, com lojas multifuncionais que disponibilizam uma ampla variedade de serviços, desde educar e informar o cliente sobre o processo de produção de jeans até à oferta de serviços de customização, com um nível de interação que não pode ser recriado online. Assiste-se, simultaneamente, à emergência de um sector exclusivo de produtos de denim, com marcas especializadas que oferecem um produto mais sofisticado, alcançado através da aplicação de know-how e métodos de fabricação avançados. Retalho feminino Espaços comerciais dedicados exclusivamente a mulheres crescem em popularidade, confirmando que a cultura do denim não é apenas uma tendência do sexo oposto. Os retalhistas adaptam o design dos seus espaços comerciais às necessidades do público feminino, disponibilizando uma ampla gama de produtos direcionados para estas clientes e serviços que apelam a um elevado envolvimento da consumidora. A G-Star Raw foi uma das primeiras marcas a sucumbir à tendência, tendo inaugurado a primeira loja exclusivamente feminina na capital holandesa ainda em 2012. Desde então, outros retalhistas seguiram o mesmo caminho. A marca holandesa Denham the Jeanmaker inaugurou recentemente o primeiro espaço dedicado ao público feminino em Amesterdão, concebido para facilitar o processo de seleção de jeans tornando-o mais divertido. A loja disponibiliza um amplo portefólio de jeans e o espaço possui um toque feminino, com provadores decorados com peças de mobiliário antigas e barras de ioga suspensas que exibem adereços vintage. A boutique de denim feminina Bad Denim estreou-se em Londres no ano passado pelas mãos da designer e especialista em denim Erin McQuinn, disponibilizando um acervo limitado de marcas premium, nomeadamente Frame e Made in Heaven, assim como artigos vintage desenhados por McQuinn. As peças estão dispostas em função do estilo do corte, substituindo a tradicional organização por marcas. Loja conceito As lojas conceito de grande dimensão ganham popularidade entre os retalhistas especializados que pretendem apresentar a linha completa dos seus produtos num ambiente singular. Estes espaços superam a simples função comercial, apelando a um determinado estilo de vida, corroborado por produtos que correspondem aos desejos dos consumidores envolvidos num ambiente social particular. A G-Star Raw colocou-se na linha da frente, estreando a sua primeira loja conceito em 2013, na movimentada rua londrina de Oxford Street. Este é um espaço minimalista, semelhante a uma galeria, no qual o produto ocupa um lugar de destaque. O mais recente espaço da marca em Antuérpia segue o mesmo conceito, substituindo as tradicionais prateleiras de calças denim por um conjunto de pernas de manequins que enaltecem a construção e o corte de cada modelo. A nova loja da Replay em Milão é um espaço de 1.500 metros quadrados, inspirado num conceito multifuncional. Denominada “Replay The Stage”, pretende replicar um espaço de filmagens, aludindo ao cinema e ao teatro, com cenários recriados e equipamentos de filmagem em exposição. A loja de dois andares acolhe a gama completa de produtos da Replay e todas as suas submarcas, bem como um espaço de alfaiataria que permite a personalização de todos os artigos de denim. A marca Dr. Denim inaugurou um modelo de loja conceito no distrito Södermalm em Estocolmo, que irá patrocinar a criação de exposições temáticas a cada temporada. Os artigos em exibição serão apresentados em paralelo com obras de arte ou literatura relativas ao conceito de cada mostra, seguindo a tendência global de inclusão da arte e da cultura nos espaços de retalho. Na segunda parte deste artigo serão abordadas as tendências dominantes entre as marcas e retalhistas de vestuário em denim, que exploram cada vez mais os benefícios da diversificação dos serviços prestados em loja, através de workshops e ateliers que aproximam o produto do consumidor, da inovação e da excelência, que distinguem a experiência em loja e superam o tradicional ato de compra.