Início Notícias Tendências

Ásia-Pacífico: o centro dos gastos de sportswear

A China e Índia vão sustentar o crescimento do sportswear na região da Ásia-Pacífico, cujo mercado, para este segmento, deverá aumentar a uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 9,4%, de 189,8 mil milhões de dólares (161,36 mil milhões de euros) em 2020 para 297,8 mil milhões de dólares em 2025.

[©Pexels]

O crescimento no mercado de sportswear da Ásia-Pacífico (APAC) será alavancado pelo aumento da procura de alguns países como a China e a Índia, segundo a empresa de dados e análises GlobalData.

Assim como em diversas outras áreas, o aumento deste mercado atribui-se às mudanças nas tendências de consumo que advieram da pandemia, sugere o inquérito de sportswear da GlobalData de janeiro de 2021, onde 88% dos entrevistados revelaram que planeiam gastar o mesmo ou ainda mais nesta categoria nos próximos cinco anos.

Com a evolução da pandemia e no cenário de retoma, o mercado de sportswear vai estar mais dependente da Ásia-Pacífico (APAC), com a China a recuperar rapidamente da crise, voltando a um ambiente de retalho considerado normal. Alguns players do sector, nomeadamente a Under Armour estão a testemunhar um forte crescimento de vendas na região. À semelhança da China, a Índia também se revelou um mercado importante, com uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 12,9% entre 2020 e 2025.

«A Índia e China vão sustentar o crescimento de sportswear na região APAC devido a uma população urbana em rápida expansão e ao surgimento de várias marcas locais que respondem às necessidades de uma grande base de consumidores que procuram valor. No entanto, as marcas de sportswear vão enfrentar o desafio da falsificação de produtos nesses mercados, onde a relação custo/benefício supera os requisitos de qualidade», alerta Ankita Roy, analista de retalho da GlobalData, citado pelo Just Style. «Isso requer muita atenção das retalhistas, pois os problemas de contrafacção podem levar à falta de confiança dos consumidores em relação a marcas de renome», aponta.

[©Pexels]
Com a crise pandémica a obrigar a maioria da população a trabalhar a partir de casa, houve uma mudança significativa em relação ao bem-estar, não só físico mas também mental. Esta nova ótica dos consumidores passou a representar uma grande oportunidade para as marcas de sportswear comercializarem os seus produtos, dando enfâse aos canais online e adaptando as propostas já existentes a atividades no interior, revela a GlobalData.

O estudo analisado contou com as respostas de 4.900 consumidores da região APAC com mais de 16 anos e que compraram este tipo de artigos nos últimos 12 meses. Uma das principais conclusões foi o facto do conforto e da qualidade passarem a ser fatores primordiais no que toca à decisão de compra de sportswear com 83% e 88% dos compradores a dizerem que estes fatores têm influência direta na compra de roupa e calçado desportivos, respetivamente.

A rápida recuperação da pandemia da APAC e a crescente urbanização vão ajudar as vendas da região a dominar a Europa e a América, tornando-se o maior centro em termos de gastos de sportswear até 2025, resume a GlobalData.