Início Notícias Retalho

Athleisure alavanca vendas de vestuário

A tendência que atenua a linha do vestuário desportivo usado somente em atividades físicas e expande esse universo às atividades do quotidiano tornou-se uma das categorias mais apelativas para os consumidores dos EUA com a chegada da pandemia.

[©Sourcing Journal]

Dos 250 maiores retalhistas online de vestuário no Digital Commerce 360 Top 1000, 46% vendem artigos de athleisure, o que comprova a preferência dos consumidores pelo uso de roupa desportiva para maior conforto.

A NPD Group calcula que a roupa desportiva representa 28% do total de dólares gastos em vestuário nos últimos 12 meses terminados em maio de 2020, o que se traduz num aumento de 4% comparativamente com os 24% registados durante os 12 meses até maio de 2018.

A maior parte dessas vendas aconteceram online e dos 250 lojistas presentes no Digital Commerce 360 Top 1000, 23 vendem maioritariamente produtos desportivos e as suas vendas aumentaram 19,1% em 2019 face ao ano anterior, um crescimento mais rápido do que o verificado no conjunto dos mil retalhistas, que foi de 13,7%.

Marcas como a Nike Inc, TheNorthFace.com, Lululemon Athletica e Under Armour fazem parte das 23 retalhistas que se dedicam ao vestuário desportivo e ficaram classificadas entre as 100 principais retalhistas de vendas online da América do Norte.

A Digital Commerce 360 ​​estima que as vendas totais online destes 23 retalhistas em 2019 tenham gerado 19,5% das vendas online do Top 1000, o que quer dizer que embora esses retalhistas representem apenas 9% do Top 1000, geraram um quinto das vendas de vestuário. Uma conclusão que não tem em consideração as retalhistas de vestuário online que vendem artigos desportivos como uma parte integrante de uma ampla gama de produtos, como a Guess Inc. (n.º 254) e Ashley Stewart Inc. (n.º 268), duas marcas que incluíram categorias de athleisure nos próprios websites.

«Há uma mudança geral de estilo no sentido do conforto e bem-estar, e mesmo no geral de cuidarmos de nós próprios», afirma Meera Bhatia, presidente de serviços especializados da retalhista de vestuário feminino TechStyle, proprietária da Fabletics.com, uma marca de roupa desportiva, citada pelo justy,style.com.

[©Rolling Stone]
O surto de Covid-19 fez com que muitos dos consumidores dos EUA trabalhassem a partir de casa, à semelhança do que acontece noutros países e, como consequência, os compradores optaram por comprar vestuário mais confortável como calças de fato de treino, pijamas e artigos de athleisure, com uma análise a concluir que 14% dos consumidores adquiriram roupas confortáveis como estes artigos desde o início da pandemia.

A forma como os americanos se vestem diariamente está a mudar para um estilo mais casual, uma transformação que a pandemia veio acelerar, segundo Meera Bhatia.