Início Notícias Mercados

Atividade económica abranda

O indicador de atividade económica abrandou entre março e maio, após ter acelerado em janeiro e fevereiro, enquanto o indicador de clima económico diminuiu em maio e junho, depois de ter estabilizado no mês anterior, divulgou o INE.

[©Pexels/Gustavo Fring]

De acordo com a Instituto Nacional de Estatística (INE), «o indicador de atividade económica, que sintetiza um conjunto de indicadores quantitativos que refletem a evolução da economia, abrandou entre março e maio, após ter acelerado em janeiro e fevereiro». Este indicador registou uma variação homóloga de 2,1% em maio, face aos 3,8% de abril.

«Os indicadores de curto prazo (ICP) relativos à atividade económica na perspetiva da produção, disponíveis para maio, continuam a apontar para elevados crescimentos em termos nominais, verificando-se uma aceleração face ao mês anterior», refere.

Em termos reais, o INE indica que «verificou-se uma aceleração na construção e um aumento na indústria», sendo que «o mês de maio teve mais um dia útil que o mês homólogo, enquanto abril teve menos dois, o que poderá ter contribuído para a aceleração observada nos indicadores não corrigidos de dias úteis, como os índices de volume de negócios».

Quanto ao indicador de clima económico, que sintetiza os saldos de respostas extremas das questões relativas aos inquéritos qualitativos às empresas, «diminuiu em maio e junho, após ter estabilizado no mês precedente». Em junho, o indicador de clima económico situou-se nos 1,7%, depois de ter registado 1,8% em maio e 2,0% em abril.

Segundo o INE, o índice de preços na produção da indústria transformadora apresentou, em junho, uma taxa de variação homóloga de 25,7% (22,9% no mês anterior), evidenciando o crescimento mais elevado da atual série. Excluindo a componente energética, este índice aumentou 16,3% em termos homólogos, igualmente o crescimento mais elevado da série.

«Refletindo em grande medida este aumento de preços, os indicadores de curto prazo da atividade económica na perspetiva da produção, disponíveis até maio de 2022, continuaram a revelar crescimentos elevados em termos nominais, acelerando face ao mês anterior», aponta o Instituto Nacional de Estatística.