Início Notícias Moda

ATP na onda verde

A revista The Green Wave, que esteve em destaque no último Modtissimo, é a mais recente iniciativa do Sustainable Fashion From Portugal, um projeto da ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal que quer exaltar a sustentabilidade da ITV nacional.

Sofia Botelho e Ana Paula Dinis

O projeto da ATP, que termina em outubro, está focado na sustentabilidade e «tem como objetivo promover, a nível internacional, o que as empresas têm investido nesta área e, sobretudo, mostrar que não é um investimento recente. Há bastantes anos que andamos a trabalhar na ótica da sustentabilidade», explicou Sofia Botelho, diretora-executiva da associação, ao Jornal Têxtil. «Nasceu, sobretudo, da vontade da ATP de dar a conhecer e comunicar as excelentes práticas das empresas portuguesas na área da sustentabilidade e responsabilidade social», acrescentou Ana Paula Dinis, também diretora-executiva da ATP.

O Sustainable Fashion From Portugal dá continuidade a dois outros projetos, um primeiro que promovia as mais-valias do “made in Portugal” e um segundo focado na área da economia digital. Entre as iniciativas já realizadas conta-se um showcase, inicialmente apresentado em 2020 no âmbito da Lisboa Cidade Sustentável, mas que também esteve no Portugal Fashion no ano passado e nesta edição do Modtissimo, onde mostrou tecidos de empresas portuguesas com certificações na área da sustentabilidade e coordenados desenhados por alunos da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa e do Modatex. «O passo seguinte é levá-lo a outros mercados até ao fim do projeto», desvendou Sofia Botelho.

Outro output foi o primeiro número da revista The Green Wave, apresentada internacionalmente na Première Vision, em Paris, e nacionalmente no Modtissimo, e com edição disponível também online. Com uma imagem clean, diversas notícias sobre as atividades de empresas nacionais e o contributo de vários protagonistas de áreas distintas, incluindo personalidades nacionais, como Guta Moura Guedes e Bárbara Coutinho, e internacionais, como Clare Press, Simoni Cipriani e Nina Almeida Braga, que «têm iniciativas interessantes, conhecem o sector e permitem também divulgar aquilo que fazemos», a revista é essencialmente «um objeto de imagem, que mostra a ligação da indústria com o design», salientou Sofia Botelho, também diretora da publicação. Já a edição e a direção criativa tem a chancela de Paulo Gomes, fundador do Manifesto Moda, que é igualmente responsável pela curadoria do showcase.

Para breve está ainda planeado «um livro de prestígio, focando a história e o que o sector tem feito nesta área da sustentabilidade no passado, no presente e talvez no futuro», um anuário estatístico dos principais mercados relacionados com a indústria e «um vídeo, que está já em desenvolvimento, para a promoção do sector e da sustentabilidade da moda», anunciou Ana Paula Dinis.

Quanto ao futuro, a ideia é que o projeto possa ter continuidade. «Faz todo o sentido que evolua, porque estamos sempre a falar da questão da promoção e da imagem do sector, sobretudo num contexto mais internacional. E a associação serve para isso também. Portanto, faz todo o sentido que continue e tenha uma nova edição, embora isso não dependa apenas de nós», reconheceu Ana Paula Dinis. «O que estamos aqui a fazer é promover o sector, o passado, o presente e o futuro», concluiu Sofia Botelho.