Início Arquivo

Aumento do endividamento externo pode gerar recessão

A economia portuguesa pode correr um sério risco de voltar a conhecer limites de crédito, desta vez da banca internacional, dado que Portugal deverá chegar a 2002 com uma dívida externa de mais de metade do Produto Interno Bruto (PIB), noticia o Diário Económico. Apenas em sete anos, o endividamento português ao mundo terá quintuplicado de peso na economia. A sucessão de défices externos crescentes atingiu no ano passado níveis próximos dos que antecederam a crise dos anos 80. Entre os analistas económicos, teme-se que os reequilíbrios previstos não sejam suficientes para evitar as restrições de crédito externo e que se gere uma nova ameaça de recessão, adianta o Diário Económico. Segundo os dados do último boletim económico do Banco de Portugal, a posição devedora da economia portuguesa agravou-se, entre 1996 e 2000, passando de 10% para cerca 36% do PIB. A Comissão Europeia prevê um abrandamento das necessidades líquidas de financiamento externo para este e o próximo ano. No entanto, para o ano de 2001, a projecção de Bruxelas é das mais conservadoras e aponta para 7.6% do PIB. Para 2002, prevê uma nova redução para 7.4%. Ainda assim, em 2002, o montante total de dívida acumulada deverá ter ultrapassado, pela primeira vez, metade da riqueza total criada na economia: 51.6% do PIB.