Início Destaques

Barcelcom entra nos hospitais

A nova meia anti-embolismo desenvolvida pela empresa de Barcelos tem propriedades únicas que estão a ajudar pacientes durante o internamento hospitalar em nove países, da Europa ao Médio Oriente.

Nuno Mota Soares

A meia desenvolvida pela Barcelcom Têxteis permite, segundo a empresa, fazer a profilaxia de tromboses antes, durante e após cirurgias, garantindo segurança ao doente e funcionando como um complemento à terapêutica medicamentosa habitual nessas situações. «Já há bastante tempo que possuíamos esta vontade de entrar neste mercado muito particular que é o das meias anti-embólicas hospitalares. Como o nosso core business é a compressão graduada, foi apenas desenvolver uma série de aspetos numa meia convencional hospitalar e dotá-la de algumas inovações que são de extrema importância, tanto para o paciente como para o profissional de saúde», explica Nuno Mota Soares, project & business manager da Barcelcom.

A nova meia tem, como propriedades principais, compressão graduada de 18 mmHg para melhor otimização do refluxo venoso e tratamento antibacteriano, além de melhorias ao nível da utilização, como uma nova tecnologia de punho sem silicone que permite que a meia não enrole ou caia durante a utilização, grip no pé para aumentar a segurança do doente e reestruturação do desenho na zona do tendão de Aquiles para promover um maior conforto. «As inovações presentes neste produto garantem um salto qualitativo muitíssimo importante para o paciente», sublinha o project & business manager.

O desenvolvimento foi realizado dentro de portas, mas com o apoio de diferentes parceiros. «Todos os desenvolvimentos são realizados em parceria, seja a nível de materiais usados, seja a nível de testes, fundamentais para um mercado exigente como o da área da saúde. Desde há muitos anos que procuramos estabelecer protocolos com entidades que nos possam auxiliar a afirmar no campo da inovação», afirma ao Portugal Têxtil.

Atualmente, a meia anti-embolismo está presente em nove países, em «mercados muito diferentes como o Reino Unido, Escandinávia, Rússia ou Médio Oriente», com um feedback que, assegura o project & business manager da Barcelcom, «não podia ser melhor. Conseguimos penetrar em mercados extremamente exigentes do ponto de vista de certificação do produto e, seja a nível de serviços de saúde privado e público, o feedback tem sido muitíssimo positivo».

Tecnologia transversal

Em cima da mesa está a possibilidade de expandir a tecnologia desenvolvida a outras áreas de utilização. «Para além da área da saúde, estamos muito empenhados no desporto de alta competição e existem mercados, que já beneficiavam a nível da compressão graduada, que com algumas inovações presentes nesta meia podem usufruir de algo muito próximo com o garante do objetivo que o produto se propõe a fazer: maximizar de forma eficiente o retorno venoso e, consequentemente, a performance do atleta que a usa», revela Nuno Mota Soares.

Os produtos técnicos para a área da saúde representam 74,9% do volume de negócios da empresa, que em 2018 rondou os 3 milhões de euros. Já este ano, em março, a Barcelcom lançou uma loja online exclusivamente dedicada a produtos de compressão médica graduada, onde estão disponíveis os artigos das marcas próprias BBMedical, com meias de compressão graduada para prevenção e tratamento das mais variadas patologias, Pradex, com mangas para tratamento de linfedemas nos membros superiores e soutiens protésico e pós-cirúrgico, e BB-Vein, o sistema de administração transdérmica de princípios ativos.

A empresa, que emprega cerca de 55 pessoas, está a registar, em termos homólogos, um crescimento de 31%, numa altura em que está a instalar 12 novas máquinas que deverão aumentar a capacidade produtiva em 15%. Até ao final do ano, o project & business manager aponta como objetivo «continuar com este ritmo de crescimento e a afirmar a empresa como umas das 40 mais inovadoras do mercado».