Início Destaques

BCI bate recordes em 2019

As retalhistas e marcas afiliadas com a Better Cotton Initiative (BCI) aprovisionaram mais de 1,5 milhões de toneladas de algodão BCI em 2019, um aumento de 40% face ao ano anterior e um novo recorde. A produção atingiu 5,6 milhões de toneladas, representando já 22% da produção mundial da fibra.

[©BCI/Seun Adatsi]

Estes dados foram revelados pela Better Cotton Initiative no seu relatório anual, onde sublinha que o consumo de 1,5 milhões de toneladas marca um novo recorde que «envia um sinal claro para o mercado de que o Better Cotton está a tornar-se uma commodity sustentável».

O Better Cotton Standard System é uma abordagem holística à produção de algodão sustentável, que abrange três pilares de sustentabilidade: social, ambiental e económica, e responde aos diferentes desafios da produção de algodão.

Alan McClay [©BCI/Ion Paciu]
Na época de cultivo de 2018/2019, juntamente com especialistas parceiros de implementação no terreno e com o apoio de mais de 1.800 membros, a BCI deu formação sobre práticas agrícolas mais sustentáveis a 2,3 milhões de agricultores de algodão – 2,1 milhões tiveram a licença para vender algodão Better Cotton. Isso impulsionou o volume de algodão produzido de forma mais sustentável disponível no mercado mundial para um novo nível, refere a BCI.

A Better Cotton registou plantações em 23 países no período, com os produtores licenciados BCI a produzirem 5,6 milhões de toneladas de Better Cotton em 2019 – algodão suficiente para fazer aproximadamente 8 mil milhões de jeans, um par por cada pessoa no planeta, de acordo com a associação.

Próximas metas

A BCI tem agora mais duas épocas para cumprir os objetivos que estabeleceu para o final de 2020, nomeadamente que o algodão Better Cotton e equivalente represente 30% da produção mundial, apoiar 5 milhões de agricultores e que 10% da produção mundial de algodão seja aprovisionado como BCI.

Segundo escreve na introdução do relatório o CEO da BCI, Alan McClay, «é particularmente agradável partilhar o progresso que a BCI está a fazer, graças aos esforços concertados dos nossos membros, parceiros e outros interessados, para os nossos objetivos de 2020. Com mais duas épocas de cultivo (2019/2020 e 2020/2021) para fazer mais avanços no terreno, estamos empenhados não só em continuar a fazer mudanças benéficas no terreno, mas também a aprender com a experiência e a adaptar-nos para nos tornarmos mais eficientes». Quanto ao futuro, «ainda não sabemos quão próximos iremos ficar dos nossos objetivos de 2020 e estamos a avaliar como a pandemia de Covid-19 vai impactar os nossos esforços. Mas uma coisa é certa, fizemos progressos significativos e inegáveis nos últimos 10 anos e há muitos sucessos para celebrar».

Em 2020, o BCI Council tomou a decisão de suspender o apoio e as atividades de licenciamento na Região Autónoma Uighur de Xinjiang na China, a partir da época 2020/2021, «já que estas atividades não podem atualmente ser implementadas de forma credível com o atual contexto operacional».

[©UNIDOEgypt/Rehab ElDalil]
Recentemente, a BCI, juntamente com a Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas (UNIDO), lançou o seu primeiro programa no Egito, abrindo caminho para cerca de 2.000 pequenos agricultores receberem formação e apoio sobre como cultivar algodão egípcio de forma mais sustentável.

Em 2019, a BCI acolheu mais de 400 novos membros e no final do ano passado contava com 1.842 membros em cinco categorias de associados, um aumento de 29% em comparação com 2018.