Início Notícias Tecnologia

Better Plastics cria plástico sustentável

Economia circular e neutra em carbono é o objetivo do Better Plastics, um projeto que envolve 52 entidades e de onde sairão 17 produtos, 15 materiais e cinco sistemas tecnológicos para o sector dos plásticos. O investimento ascende a 6,3 milhões de euros e tem a coordenação da Universidade do Minho.

[©Unplash/Brian Yurasits]

O Better Plastics foi apresentado na Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, em Lisboa no passado dia 8 de junho e contou com as intervenções da secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, do administrador da Agência Nacional de Inovação, Eduardo Bacelar Pinto, do presidente do programa Compete 2020, Nuno Mangas, do presidente da APIP – Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos, Amaro Reis, do coordenador científico do projeto, Bruno Pereira da Silva, e do líder do consórcio e também da empresa Vizelpas, Modesto Araújo.

O projeto ambiciona «assegurar a sustentabilidade da nova cadeia de valor do sector dos plásticos em Portugal e tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento de novos materiais, produtos, processos tecnológicos e serviços, através de uma estratégia de investigação, desenvolvimento e inovação, assegurando a circularidade dos plásticos», explicou Modesto Araújo.

[©Universidade do Minho]
As ações pretendem sobretudo diminuir a produção e o consumo de produtos descartáveis, aumentar o potencial de reciclagem e apostar em matérias-primas alternativas e amigas do ambiente, associando novos modelos de negócio e de design de produto. «O sector dos plásticos do futuro deverá ser sustentável, totalmente integrado, transparente, eficiente no uso dos recursos e centrado no consumidor», apontou o líder do consórcio.

Projeto mobilizador

O Better Plastics nasceu de um desafio da APIP para mobilizar o sector privado, as autoridades, as universidades e os cidadãos sobre os objetivos da economia circular europeia, em especial na redução de emissões de gases com efeito de estufa, na maior eficiência de recursos e na criação de emprego.

Bruno Pereira da Silva [©Universidade do Minho]
O projeto tem um investimento de aproximadamente 6.3 milhões de euros, sendo parte deste cofinanciado pelo COMPETE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Segundo o coordenador científico do Better Plastics, Bruno Pereira da Silva, do Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho, este projeto constitui um verdadeiro ecossistema de inovação envolvendo 52 membros parceiros. «Estão já a ser desenvolvidos 17 produtos, 15 materiais e cinco sistemas tecnológicos, que permitirão alavancar a transição do setor para uma economia mais circular e neutra em carbono», afirmou.

Entre a centena de participantes na apresentação pública do Better Plastics estiveram decisores políticos, industriais e responsáveis do retalho, gestão e valorização de resíduos, de ONG’s, de confederações, de associações setoriais, da academia e de outros organismos públicos. Os intervenientes destacaram as agendas mobilizadoras no apoio à I&D e à inovação colaborativa para criar produtos, processos e serviços de elevado valor para a economia e a sustentabilidade.