Início Arquivo

Big Apple dá a partida

A temporada dos desfiles de moda começou na quinta-feira em Nova Iorque, com uma estação que promete trazer para a passerelle um pouco de tudo, desde as franjas e pele de carneiro aos estilos mais clássicos e monocromáticos. A Nicholas K, uma dupla de designers composta por dois irmãos e sediada em Nova Iorque, foi a primeira a estrear a passerelle nesta edição da Semana de Moda de Nova Iorque, centrada no Lincoln Center, com anoraks oversized e camisolas com drapeados e dobras em tons sombrios de azul meia-noite, urze acinzentada e indigo, com toques de beringela. Até quinta-feira, centenas de designers irão mostrar as suas criações para a próxima estação fria nas passerelles e showrooms espalhados por Nova Iorque, numa maratona que Ralph Lauren e Calvin Klein irão encerrar. A semana de moda tem lugar de seis em seis meses em Nova Iorque e é a primeira das grandes capitais, seguindo-se os desfiles em Londres, Milão e Paris. Em Portugal, a ModaLisboa decorrerá de 7 a 9 de março e o Portugal Fashion encerra as apresentações das coleções para o outono-inverno 2014/2015 de 26 a 29 de março. A Semana de Moda de Nova Iorque atrai cerca de 232 mil pessoas a mais de 500 desfiles, segundo as estatísticas da câmara municipal da cidade que nunca dorme. A indústria da moda emprega mais de 180 mil pessoas na Big Apple. Os coordenados de Nicholas K evocaram um mundo pós-apocalíptico, com as manequins em casacos pretos, assimétricos, em couro, calções largos enrolados sobre leggings, capuzes em pelo e botas pretas em borracha. Visuais adequados à neve que caia no exterior, um cenário que se deverá repetir nos próximos dias. A animar os estilos da Nicholas K estiveram soutiens com apenas uma alça conjugados com calças largas e descaídas, com a barriga à mostra. Os coordenados oversized deverão ser vistos noutros desfiles, de outras marcas e designers, ao longo desta semana de moda, sustenta Sheila Aimette, vice-presidente de conteúdo da América do Norte no gabinete de tendências de moda WGSN. «Antes, tínhamos um top volumoso e uma parte de baixo mais justa. Mas agora, tudo tem muito volume esta estação», acrescenta. A BCBGMAXAZRIA propôs vestidos caftan em blocos de cor, túnicas e capas em pelo, usando riscas e quadrados de malva, laranja velho e verde menta para acentuar os sólidos preto, azul-marinho, camel e estanho. As saias de comprimento médio são a direito, os vestidos têm costas abertas e as costuras são assimétricas. Os visuais na passerelle da BCBGMAXAZRIA foram inspirados pela paisagem e cenários do Louisiana e pelos pântanos, revelou Lubov Azria, que desenha a linha com o marido Max Azria, antes do desfile. «Tem um certo toque sulista», destacou. Ken Downing, diretor de moda na retalhista Neiman Marcus, espera ver designs influenciados por um conjunto de culturas mundiais, evidenciadas pelo couro, carneiro e franjas, assim como vestidos de uma única cor e menos adornados. «Ou vamos ver coisas muito simples com uma certa sensibilidade clássica ou uma injeção de uma ideia muito global», acredita Downing. «Há sempre mais do que uma mensagem na passerelle», acrescenta. Esperem ver também muito cinzento, antevê Downing, desde o mais pálido ostra ao carvão, conjugado com neutros como blush ou pêssego. «O cinzento acrescenta uma verdadeira elegância ao guarda-roupa de uma mulher e certamente é uma boa base para as cores realmente ricas que muitas vezes aparecem na passerelle para o outono», conclui.